Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Eleições na Índia dão vitória avassaladora a nacionalistas

Internacional

Ásia

Eleições na Índia dão vitória avassaladora a nacionalistas

por Deutsche Welle publicado 16/05/2014 15h41
A coalizão oposicionista NDA conquistou maioria no Parlamento, abrindo o caminho para a indicação do hindu Narendra Modi como primeiro-ministro
INDRANIL MUKHERJEE / AFP
 Narendra Modi

Conhecido como religioso linha dura, Narendra Modi promete sanar a economia do país

Os resultados iniciais das apurações das eleições parlamentares na Índia indicam, nesta sexta-feira 16, a vitória histórica do partido nacionalista hindu Bharatiya Janata (BJP). O líder da sigla oposicionista, Narendra Modi, deverá ser o novo primeiro-ministro do país, encerrando a longa dominância da dinastia Gandhi no poder.

O BJP está à frente em 277 das 537 zonas eleitorais apuradas, de acordo com a comissão eleitoral. Assim, já ultrapassou sozinho a maioria necessária a um partido ou coalizão para constituir governo, que é de 272 dos 543 assentos do Parlamento. O partido do Congresso Nacional Indiano (INC, na sigla em inglês), que ainda governa o país, foi massacrado nas urnas, só obtendo 46 postos parlamentares.

Segundo a emissora indiana NDTV, a Aliança Democrática Nacional (NDA), formada pelo BJP e parceiros, teria conquistado um total de 340 assentos, contra apenas 58 para a Aliança Progressista Unida (UPA), a coalizão governista secular encabeçada pelo INC.

"A Índia venceu. Bons dias estão chegando", festejou Modi através de seu perfil no Twitter. O premiê Manmohan Singh, que deverá entregar o cargo no sábado, parabenizou o nacionalista hindu de 63 anos pela vitória. Em janeiro passado, ele declarara que um governo liderado por Modi seria "desastroso para o país".

"Começo de uma nova era". O líder e fundador do BJP, L.K. Advani, considerou o resultado das eleições um veredicto contra a dinastia Gandhi, que há anos lidera o INC. A campanha da aliança governista foi liderada pelo vice-presidente do partido, Rahul Gandhi, de 43 anos, e sua mãe, Sonia Gandhi.

O governo da UPA vinha enfrentando sérias críticas por não conseguir impulsionar a combalida economia nacional nem deter a inflação. Além disso, sua credibilidade estava abalada por escândalos de corrupção.

O resultado das eleições parlamentares é visto como um aval ao carismático, porém controverso, Narendra Modi. Ele promete reavivar a economia, criar novos empregos e trazer investimentos ao país, que apresenta o índice de crescimento mais baixo dos últimos dez anos. Devido a seu passado de linha dura religiosa, contudo, ele é visto com desconfiança pelos 150 milhões de muçulmanos do país.

Os nacionalistas hindus declararam que o resultado das urnas significa o "começo de uma nova era". Mais da metade dos 1,2 bilhão de indianos tem menos de 25 anos de idade e jamais testemunhara tamanha reviravolta eleitoral, tendo crescido numa era marcada por contumaz política de coalizões.

  • Edição: Augusto Valente