Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Coreia do Norte: Kim Jong-un vence com 100% dos votos

Internacional

Ásia

Coreia do Norte: Kim Jong-un vence com 100% dos votos

por AFP — publicado 10/03/2014 15h33, última modificação 10/03/2014 15h49
A imprensa oficial norte-coreana anunciou a vitória nas eleições legislativas de domingo, absolutamente controladas e com apenas um candidato por circunscrição
AFP/Coreia do Norte
Kim Jong-un ao lado de mulheres norte-coreanas, em foto sem data

Kim Jong-Un ao lado de mulheres norte-coreanas, em foto sem data

A imprensa oficial norte-coreana anunciou nesta segunda-feira 10 a vitória, com 100% dos votos e sem abstenção, do líder Kim Jong-Un nas eleições legislativas de domingo, absolutamente controladas e com apenas um candidato por circunscrição.

Em cada uma das quase 700 circunscrições do país havia apenas um candidato, apresentado pelo partido único, o que permite conhecer o resultado das eleições antes mesmo do processo.

A eleição, na qual os eleitores podem optar apenas entre 'sim' e 'não', serve mais às autoridades para detectar as deserções no exterior.

A lei afirma que o voto é facultativo, mas a imprensa estatal destacou que todos os eleitores registrados compareceram aos locais de votação, com exceção daqueles que estão fora do país.

Na circunscrição de Kim, todos os votos foram atribuídos ao dirigente do país, que além de deputado é comandante supremo das Forças Armadas e presidente da poderosa Comissão Nacional de Defesa.

De acordo com a agência oficial, "isto expressa o apoio absoluto do povo e sua profunda confiança no supremo líder Kim Jong-Un".

As eleições para Assembleia Suprema do Povo acontecem a cada cinco anos e estas foram as primeiras sob o comando de Kim Jong-Un, que assumiu o poder após a morte do pai, Kim Jong-Il, em dezembro de 2011.

Kim era o candidato único na circunscrição número 111, a do Monte Paektu. Este monte tem uma dimensão sagrada para os coreanos e, segundo a propaganda, Kim Jong-Il nasceu neste local.

A assembleia se reúne apenas uma ou duas vezes por anos para confirmar as decisões tomadas pelo Partido dos Trabalhadores.

A votação serve ao regime para atualizar o censo, já que os funcionários responsáveis por organizar o processo visitam todas as residências para confirmar a presença ou ausência de eleitores registrados.

A lista de candidatos também serve aos analistas estrangeiros para conhecer as promoções ou punições de dirigentes do regime.