Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Clinton defende novo mandato para Obama

Internacional

Eleições nos EUA

Clinton defende novo mandato para Obama

por AFP — publicado 06/09/2012 18h16, última modificação 06/06/2015 18h28
Na Convenção Democrata, ex-presidente disse que é preciso mais tempo para reparar o 'enorme dano deixado pelos republicanos'
clinton

©AFP/Getty Images / Chip Somodevilla Barack Obama abraça Bill Clinton na Convenção Democrata

CHARLOTTE, EUA (AFP) - O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton fez uma inflamada defesa da gestão econômica de Barack Obama e pediu mais quatro anos para que possa reparar o "enorme dano deixado pelos republicanos". O discurso, que terminou com um abraço entre os dois líderes democratas, ocorreu na noite de quarta-feira 5 na Convenção Democrata, em Charlotte.

"O presidente Obama começou com uma economia mais frágil que a minha. Não há presidente que poderia reparar todo esse dano", afirmou Clinton em seu longo discurso, na Time Warner Arena de Charlotte, na Carolina do Norte.

Bill Clinton acusou os republicanos de deixarem um "desastre total" para a administração de Obama, que seria o único capaz de recuperar a economia do país.

Obama, disse, herdou uma economia profundamente deteriorada, impediu sua queda e iniciou o longo caminho da recuperação. "Estabeleceu as bases para uma economia mais moderna, mais equilibrada, que produzirá milhões de novos empregos, de novas empresas dinâmicas e muito mais riqueza."

Clinton, de 66 anos, que goza de grande popularidade nos Estados Unidos, fez um discurso inflamado para defender a gestão econômica de Obama, que garantirá saúde, educação e empregos dignos para todos os americanos. "Em que tipo de país vocês querem viver? Se querem um país no qual estão por conta própria, no qual apenas o vencedor leva tudo, então devem apoiar a candidatura republicana, mas se querem um país de prosperidade e responsabilidade compartilhada, com uma sociedade na qual todos estão juntos, precisam votar em Barack Obama e Joe Biden."

Entre os vários oradores que subiram ao pódio na quarta-feira, o congressista Luis Gutiérrez e a celebridade da televisão latina Cristina Saralegui defenderam as leis imigratórias promovidas por Obama. Todos concordaram em enfatizar que Romney coloca em perigo o sonho americano de milhões de hispânicos nos Estados Unidos.

 

Antes do discurso de Clinton, Gutiérrez advertiu que Romney será um "pesadelo" para os imigrantes ilegais se for eleito presidente. O representante do estado de Illinois foi o primeiro orador do segundo dia da Convenção Nacional Democrata e se concentrou no tema da imigração, visando o eleitorado hispânico.

"O futuro de mais de um milhão de pessoas será decidido nesta eleição. Não podemos permitir que o futuro desta gente seja negado", disse Gutiérrez ao contar o caso de uma estudante da Carolina do Norte beneficiada pela recente decisão do presidente Barack Obama de suspender temporariamente as deportações de estudantes ilegais.

"Mitt Romney quer mandá-los de volta. Esta eleição vai determinar se os melhores estudantes de nossas escolas superiores, capitães de equipes de futebol e presidentes de grêmios estudantis serão tratados com respeito ou se vão receber tratamento de suspeitos e delinquentes", destacou.

O congressista latino afirmou que Obama é o "presidente que está protegendo os imigrantes" e advertiu que os "sonhadores" - como são chamados os estudantes ilegais - terão seus sonhos destruídos por Romney, que os converterá em "pesadelos". Romney tem se manifestado abertamente contra o "dream act", que beneficia estudantes ilegais ameaçados de deportação.

Leia mais em AFP Movel.

registrado em: ,