Você está aqui: Página Inicial / Internacional / CIA entregou milhões de dólares a presidente do Afeganistão, diz ex-funcionário do governo

Internacional

Corrupção

CIA entregou milhões de dólares a presidente do Afeganistão, diz ex-funcionário do governo

por AFP — publicado 29/04/2013 11h30, última modificação 29/04/2013 11h42
"A maior fonte de corrupção no Afeganistão foram os Estados Unidos", diz funcionário do alto escalão americano ao jornal New York Times
Hamid Karzai

Hamid Karzai discursa no Parlamento em Cabul em março de 2013. Foto: ©afp.com / Shah Marai

WASHINGTON (AFP) - A CIA entregou maletas e mochilas com dezenas de milhares de dólares em dinheiro no gabinete do presidente afegão Hamid Karzai durante mais de uma década, afirma o New York Times nesta segunda-feira 29.

"Nós o chamávamos de 'dinheiro fantasma'", disse ao Times Khalil Roman, chefe assistente do gabinete de Karzai de 2002 a 2005. "Vinha em segredo e ia em segredo".

O dinheiro estava destinado a obter influência, mas acabou por encorajar uma corrupção generalizada, disseram autoridades e ex-funcionários ao jornal.

"A maior fonte de corrupção no Afeganistão foram os Estados Unidos", disse um funcionário de alto escalão americano não identificado.

Sabia-se há tempos que Washington enviava dinheiro aos seus colaboradores no Afeganistão, como fez no Iraque. No entanto, o relato do NYT é o primeiro a dar uma ideia do montante de dinheiro enviado especificamente ao gabinete de Karzai.

Ao que parece, não havia controle sobre o dinheiro entregue pela Agência Central de Inteligência americana, destinado a obter influência através do pagamento a senhores da guerra e políticos, incluindo alguns relacionados com o narcotráfico e inclusive com os talibãs, afirma o NYT.

Anteriormente, o Irã havia realizado pagamentos a um dos principais colaboradores de Karzai, reconheceu o presidente afegão em 2010. No entanto, os iranianos suspenderam estes pagamentos, enquanto os envios da CIA continuaram.

Diversos contribuintes prometeram bilhões de dólares em ajuda ao Afeganistão depois que as tropas da Otan se retirarem, em 2014, com a condição de que a corrupção seja controlada.

Leia mais em AFP Movel.