Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Presidente afirma que Chile não devolverá acesso ao mar à Bolívia

Internacional

Direito internacional

Presidente afirma que Chile não devolverá acesso ao mar à Bolívia

por Redação Carta Capital — publicado 24/05/2011 12h19, última modificação 24/05/2011 18h23
Sebastián Piñera afirma que tratado entre os dois países não pode ser revisto 100 anos após sua assinatura de comum acordo, como pede Evo Morales

Em uma entrevista à agência internacional de notícias Efe, publicada pelo jornal espanhol El País, o presidente do Chile, Sebastián Piñera descartou devolver o acesso da Bolívia ao mar, perdido para o país na Guerra do Pacífico (1879 -1884). O presidente boliviano, Evo Morales anunciou, em março, que tem intenção de levar a instâncias internacionais o seu requerimento.

Piñera afirmou que o Tratado de Paz e Amizade de 1904, o qual rendeu ao seu país mais 400 quilômetros de litoral, promoveu a paz por mais de um século. “Imagine se todos os países do mundo quisessem anular tratados de limites 100 anos depois de celebrá-los. Onde ficaria a paz? Onde ficaria a estabilidade”, questionou.

Os dois países não têm relações diplomáticas com embaixadores desde 1962, com exceção de um intervalo entre 1975 e 1978, quando fracassou a última negociação sobre o assunto. “O Chile mantém o diálogo com a Bolívia”, diz Piñera, em referência à agenda de 13 pontos, que incluí temas de interesse bilateral. “Vamos mantê-la, desde que respeitem os tratados internacionais e o direito internacional”, completou.

registrado em: