Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Chavista é reeleito presidente do parlamento venezuelano

Internacional

Chavista é reeleito presidente do parlamento venezuelano

por Agência Brasil publicado 05/01/2013 16h49, última modificação 05/01/2013 16h52
Diosdado Cabello foi reeleito neste sábado 5 para presidir a Assembleia Nacional do país
VENEZUELA-POLITICS-CHAVEZ-HEALTH-FEATURE

Homem observa um calendário com a imagem de Chávez em uma loja de Caracas, na quinta-feira 3. O país vive um clima de tensão por conta da doença do presidente. Foto: Raul Arboleda / AFP

Brasília - O deputado Diosdado Cabello foi reeleito neste sábado 5 para presidir a Assembleia Nacional da Venezuela (Parlamento) em uma sessão extraordinária para escolher o novo comando da casa. Cabello é considerado um dos mais leais correligionários do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e poderá assumir interinamente a chefia do governo venezuelano se Chávez, reeleito em outubro, não tomar posse no cargo no próximo dia 10.

A Constituição do país prevê que, nesta hipótese, o chefe do Legislativo deve convocar novas eleições para a Presidência da República em um prazo máximo de 30 dias. Atualmente, o posto de presidente interino é ocupado pelo vice-presidente, Nicolás Maduro. Porém, o governo quer a permanência de Chávez no cargo, de acordo com a interpretação do Artigo 231 da Constituição venezuelana.

Em entrevista transmitida pelo canal estatal venezuelano na noite desta sexta-feira 4, Nicolás Maduro defendeu que Hugo Chávez continue na Presidência mesmo que não retorne a Venezuela na data da posse. O presidente venezuelano está em Cuba em tratamento contra um câncer. Segundo Maduro, a posse de Chávez para o novo mandato é apenas um "formalismo" e ele poderá assumir em uma nova data, a ser combinada com o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ). Maduro também acusou a oposição de liderar um movimento nacional de “intrigas” e uma “ofensiva” e planejar um "golpe de Estado” na Venezuela.

Em mensagem ontem nas redes sociais, Diosdado Cabello destacou que a Assembleia Nacional é um espaço para o diálogo e deve ficar longe de “conspirações” para desestabilizar o país. "Não se enganem, a Assembleia Nacional é revolucionária e socialista e continuará ao lado do povo e de nosso comandante”, destacou.

Há cerca de um mês Chávez está hospitalizado em Havana para tratamento de um câncer.  Nos últimos 18 meses, ele passou por quatro cirurgias. O presidente venezuelano não é visto em público desde o começo de dezembro. Nos últimos dias, aumentaram os rumores sobre o agravamento do estado de saúde do presidente venezuelano.

registrado em: ,