Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Chávez nomeia ex-vice presidente como ministro das Relações Exteriores

Internacional

Venezuela

Chávez nomeia ex-vice presidente como ministro das Relações Exteriores

por AFP — publicado 16/01/2013 09h53, última modificação 16/01/2013 09h53
De Cuba, onde o presidente venezuelano segue internado, veio a nomeação de Elías Jaua como ministro das Relações Exteriores, após este perder as eleições estaduais de Miranda para o líder da oposição

CARACAS (AFP) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, hospitalizado em Cuba há mais de um mês, nomeou o ex-vice-presidente Elías Jaua como ministro das Relações Exteriores do país, informou na terça-feira 15 o vice-presidente, Nicolás Maduro. Chávez segue hospitalizado em função de uma opração para a retirada de um câncer.

"O presidente da República acaba de designar ministro do Poder Popular para as Relações Exteriores o companheiro Elías Jaua Milano", disse Maduro, que na segunda-feira 14 regressou de Cuba após visitar Chávez. Maduro, nomeado vice-presidente em outubro passado, exercia a função de chanceler desde 2006.

"Quero agradecer o comandante Hugo Chávez por este novo gesto de confiança para comigo", disse Jaua ao sair do Parlamento, onde Maduro anunciou a decisão.

Elías Jaua, 43 anos, vice-presidente até a reeleição de Chávez, no dia 7 de outubro, foi candidato do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) nas eleições estaduais de 16 de dezembro para o governo do Estado de Miranda, sendo derrotado pelo líder opositor Henrique Capriles Radonski.

Chávez, hospitalizado em Havana há mais de um mês, está "fazendo progressos", destacou Maduro mais cedo, ao final de uma visita de quatro dias à capital cubana. "Estivemos com ele até o dia de ontem" e "o atualizamos amplamente sobre como nosso povo tem avançado", acrescentou o vice-presidente.

Segundo o último boletim médico divulgado no domingo, Chávez respondeu bem ao tratamento nos últimos dias, mas ainda sofre de insuficiência respiratória.

Maduro viajou a Havana com o presidente do Congresso, Diosdado Cabello, o ministro de Energia e Petróleo, Rafael Ramirez, a Procuradora da República, Cilia Flores, e o irmão de Chávez e governador de Barinas (oeste), Adán Chávez.

Depois de ser reeleito em outubro, Chávez deveria assumir seu novo mandato em 10 de janeiro, mas o Supremo Tribunal confirmou na semana passada o adiamento da posse até sua recuperação.

registrado em: ,