Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Casamento transexual é tema do aniversário de Fidel Castro

Internacional

Cuba

Casamento transexual é tema do aniversário de Fidel Castro

por Redação Carta Capital — publicado 14/08/2011 12h27, última modificação 06/06/2015 18h15
Ilha promove união entre um homem e uma trans que passou por cirurgia de mudança de sexo financiada pelo Estado; ideia é compensar passado homofóbico da Revolução Cubana

Como ocorre anualmente, uma série de comemorações oficiais tomaram conta de Cuba por conta dos 85 anos do comandante da ilha, Fidel Castro, comemorados neste sábado (13). A famosa Praça Karl Marx teve shows dos principais cantores do país que apóiam o regime e até o aliado Hugo Chavez fez questão de parabenizar Fidel via Twitter pela data. No entanto, o fato mais marcante do evento foram as homenagens ao casamento entre um homem e uma transexual ocorrido na ilha neste fim de semana.

Wendy Iriepa, a transexual, passou por uma cirurgia de mudança de sexo financiada pelo Estado cubano. Casou-se com um homem chamado Ignácio Estrada que, segundo o periódico mexicano La Jornada, é católico fervoroso, portador do vírus da aids e que recentemente desistiu de se tornar um monge beneditino no México. O casamento ocorreu em local oficial e sob a benção do regime cubano.

A ideia do governo ao promover a diferenciada boda é mostrar ao mundo que a diversidade sexual é respeitada na ilha - caso queira, todo cubano pode mudar de sexo através de um programa oficial do Estado, como foi o caso de Wendy Iriepa.

A novidade faz parte de uma ação governamental para compensar os erros do passado, na qual o regime era claramente homofóbico. Em 2010, Fidel Castro assumiu que marginalizou homossexuais no início da Revolução Cubana, ao classificá-los como "contrarrevolucionários" e enviá-los a campos de trabalhos forçados. "Sim, foram momentos de grande injustiça! Fomos nós que fizemos, fomos nós... Estou tentando diminuir minha responsabilidade em tudo isso, porque, pessoalmente, eu não tenho esse tipo de preconceito", afirmou ao La Jornada na época. "Se alguém é responsável pela perseguição aos homossexuais naquela época, sou eu", assumiu.

Contudo, a união entre Wendy Irepa e Ignácio Estrada não é a primeira entre um homem e uma transexual em Cuba. Mavi Suset, que já havia passado por uma cirurgia para se transformar em mulher, já se casara com um homem em 1988. A novidade do momento é que o Centro Nacional de Educação Sexual de Cuba, o Cenesex, vau conseguir incluir a união de pessoas do mesmo sexo na votação do Legislativo do país. O Cenesex é comandado por Mariela Castro, filha do presidente de Cuba Raúl Castro, irmão de Fidel.

registrado em: