Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Brasileiros acusados de crime são queimados vivos na Bolívia

Internacional

Tráfico de Drogas

Brasileiros acusados de crime são queimados vivos na Bolívia

por AFP — publicado 15/08/2012 11h17, última modificação 06/06/2015 18h18
Uma multidão ateou fogo e matou dois brasileiros acusados de assassinato, decorrente de um caso envolvendo o tráfico de drogas, segundo a polícia
Bolívia

A dupla brasileira era suspeita de matar a tiros, na segunda-feira, três bolivianos. Foto: ©AFP / Orlando Sierra

LA PAZ (AFP) - Uma multidão em fúria ateou fogo e matou dois brasileiros acusados de assassinar três bolivianos nesta terça-feira 14, na cidade de San Matías, no leste da Bolívia, em um aparente caso envolvendo o tráfico de drogas, informou a polícia.

Os brasileiros Rafael Max Dias e Jefferson Castro Lima foram retirados a força de um posto policial, por cerca de 300 moradores de San Matías, que "jogaram gasolina e atearam fogo para queimá-los vivos", revelou um jornalista da TV Uno.

"Os dois foram queimados a cinco metros da porta do posto policial", confirmou o oficial Grover Ramos ao site do jornal El Deber, de Santa Cruz, região que engloba San Matías.

A dupla era suspeita de matar a tiros, na segunda-feira, os bolivianos Paulino Parabá Ramos, 33 anos, Banderley Costas Parabá, 27, e Edgar Suárez Rojas, 26.

Os dois brasileiros foram detidos na tarde desta terça-feira, "na região de Fátima, e quando a população tomou conhecimento do fato, foi até o posto (policial), invadiu o local e arrancou os homens a força", disse Ramos, oficial da Força Especial de Luta contra o Narcotráfico (FELCN).

"Era impossível controlar esta gente. Temos sete policiais, nada mais", justificou Ramos.

San Matías, 1.300 km a leste de La Paz, fica na fronteira com o Brasil e tem apenas dez policiais.

Leia mais em AFP Movel.

registrado em: