Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Bolsas europeias abrem o dia em baixa

Internacional

Dúvidas sobre a dívida

Bolsas europeias abrem o dia em baixa

por Agência Brasil publicado 27/09/2011 10h32, última modificação 28/09/2011 11h06
Os investidores aguardam decisões sobre a crise que atinge principalmente a Grécia, pois estão preocupados com o possível descumprimento de acordos

Renata Giraldi*

Brasília - As bolsas europeias abriram o dia hoje (28) em baixa. Nas primeiras horas desta quarta-feira, a Bolsa de Londres {Reino Unido) apresentou queda de 0,82%. A de Frankfurt (Alemanha) também está em baixa de 1,17%, assim como a de Milão (Itália), que apresenta recuo de 1,23%, e a de Paris (França), com queda de 1,30%. Na Espanha, a Bolsa de Madri apresenta queda de 1,9%.

Para especialistas do mercado financeiro, os investidores aguardam decisões sobre a crise que atinge principalmente a Grécia, pois estão preocupados com o possível descumprimento de acordos por parte do governo grego. O clima é de expectativa.

Segundo os analistas, os investidores temem ainda os rumores sobre a divisão de opiniões na União Europeia quanto à proposta de solução para a crise da dívida soberana na zona do euro. O tema é assunto constante de reuniões no bloco.

Paralelamente, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, reitera que a  Grécia  será mantida como "membro da zona euro”, sem risco de exclusão. Para Barroso, o debate deve ser ampliado não apenas em relação à crise grega, mas às dificuldades enfrentadas pelos europeus em geral e que se expandem para o restante do mundo.

Em meio às negociações em torno da crise grega, Barroso ressaltou que o governo da Grécia terá de “cumprir plenamente” os compromissos firmados. Segundo ele, a contrapartida dos europeus é dada por meio do apoio e das condições de retomada do equilíbrio na Grécia.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

**Matéria originalmente publicada em Agência Brasil

Os investidores aguardam decisões sobre a crise que atinge principalmente a Grécia, pois estão preocupados com o possível descumprimento

registrado em: