Internacional

Oriente Médio

Assad pede intervenção do Brics na crise síria

por AFP — publicado 27/03/2013 12h03, última modificação 27/03/2013 17h00
Segundo Bashar al-Assad, as sanções sufocam a economia do regime e estimular a violência dos rebeldes opositores
Assad

Foto: ©afp.com

DAMASCO (AFP) - O presidente sírio, Bashar al Assad, pediu aos países emergentes que formam o grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) que intervenham para deter a violência na Síria e colocar um fim às sanções internacionais que trazem sofrimento ao seu povo.

"Peço aos líderes do Brics para que trabalhem juntos para deter imediatamente a violência na Síria e assim garantir o êxito da solução política. Para isso, é necessária uma clara vontade internacional de cortar as fontes do terrorismo, de seu financiamento e armamento", indicou Assad em uma carta ao presidente sul-africano Jacob Zuma difundida nesta quarta-feira 26 pela agência Sana.

"Vocês que procuram propiciar a paz, a segurança e a justiça no trastornado mundo de hoje, concentrem seus esforços para obter o cessar do sofrimento do povo sírio, causado por sanções econômicas injustas, contrárias ao direito internacional, e que afetam diretamente a vida e as necessidades diárias de nossos cidadãos", acrescentou Assad.

Em meados deste mês, a assessora de Assad, Busaina Shaaban, havia dito à AFP ter transmitido a Zuma uma mensagem do presidente sírio. Nela, Assad pedia uma "intervenção dos Brics para deter a violência em seu país e favorecer a abertura ao diálogo".

O presidente russo, Vladimir Putin, pediu ao Brics, antes do início de sua cúpula, que "coordene iniciativas para encontrar uma solução pacífica para a crise síria".

Leia mais em AFP Movel.

registrado em: , ,