Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Alabama e Mississippi votam em Santorum

Internacional

Prévias republicanas

Alabama e Mississippi votam em Santorum

por AFP — publicado 14/03/2012 10h36, última modificação 14/03/2012 10h36
Com estas duas vitórias no sul dos Estados Unidos, Santorum impõe uma dura derrota a Mitt Romney, que esperava reforçar na terça-feira seu status de favorito
santorum

Com estas duas vitórias no sul dos Estados Unidos, Santorum impõe uma dura derrota a Mitt Romney, que esperava reforçar na terça-feira seu status de favorito. Foto: Sean Gardner/AFP

O conservador Rick Santorum venceu nesta terça-feira as eleições primárias republicanas nos estados sulistas de Mississippi e Alabama, em um dia de votações que deixou a disputa do partido sem um claro favorito para enfrentar o presidente Barack Obama na eleição de novembro.

Com estas duas vitórias no sul dos Estados Unidos, Santorum impõe uma dura derrota a Mitt Romney, que esperava reforçar na terça-feira seu status de favorito para obter a indicação republicana na disputa pela Casa Branca, em novembro próximo.

"As pessoas comuns desafiaram as probabilidades", disse Santorum em um hotel de Lafayette, Louisiana, estado vizinho ao Alabama que celebrará as primárias republicanas em 24 de março.

"A resposta é eleger um candidato republicano conservador que possa enfrentar Obama em todas as questões que afetam este país", acrescentou Santorum, que fará campanha em Porto Rico nesta quarta e quinta-feira.

No Mississippi, após a apuração de 99% dos votos o pré-candidato conservador venceu com 33%, contra 31% para Newt Gingrich e 30% para Mitt Romney.

No Alabama, Rick Santorum ganhou com 35% dos votos, contra 29% para Newt Gingrich e Mitt Romney.

"Cumprimento o ex-senador Santorum porque fez uma campanha muito forte e tanto ele como sua família trabalharam muito para conseguir isto", disse Gingrich, que acompanhou a apuração dos votos em um hotel de Birmingham, acreditando que venceria no Alabama.

"Uma das coisas que acabamos de demonstrar é que todas as tentativas dos meios de comunicação liberais de convencer-nos de que Mitt Romney é o candidato inevitável acabam de desmoronar", afirmou Gingrich.

O ex-presidente da Câmara de Representantes deixou claro que não vai abandonar a corrida pela indicação republicana até a convenção do partido em Tampa, Flórida, no mês de agosto.

Gingrich, que venceu em apenas dois dos 26 estados onde se realizaram primárias ou 'caucus' (assembleias partidárias) desde janeiro, está sob pressão do próprio partido para que abandone a disputa pela candidatura republicana nas presidenciais de novembro e permita que a base conservadora apoie Santorum, um fervoroso católico próximo à Opus Dei.

Romney não consegue convencer os republicanos de que é o candidato mais forte para enfrentar Obama

Horas depois da derrota dupla, Romney obteve um prêmio de consolação com vitórias no Havaí - estado natal do presidente Obama - e na Samoa Americana, segundo a imprensa.

Com 82% dos votos apurados no Havaí, Romney tinha 45%, contra 25% de Santorum.

Os 50 delegados do Alabama e os 40 do Mississippi são distribuídos proporcionalmente entre os candidatos. Os republicanos também votavam na terça-feira no Havaí e em Samoa, onde são eleitos 20 e nove delegados, respectivamente.

A vitória de Santorum representa um golpe para Romney mas também atinge duramente o ex-presidente da Câmara dos Representantes Newt Gingrich, que protagonizou uma agressiva campanha desde a semana passada nos dois estados sulistas.

Um candidato precisa de 1.144 delegados para obter a indicação do partido.

Até o momento, o milionário e ex-governador de Massachusetts Romney ganhou em 17 dos 26 estados. Santorum, um católico fervoroso, venceu em nove, Gingrich em dois e o ex-congressista Ron Paul em nenhum.

"Preciso de mais delegados. Se vocês fizerem isso por mim alcançaremos a meta em um ritmo mais rápido", declarou Romney durante um comício em Mobile, sul do Alabama.

Já Santorum voltou a enfatizar que é o candidato mais conservador e contou com o apoio do governador do Alabama Robert Bentley.

Mississippi e Alabama são os estados mais pobres do país e, por isso, os candidatos prometeram a recuperação econômica.

"Se eu for presidente, iremos cortar os gastos federais, limitar os gastos federais e, finalmente, vamos ter um orçamento balanceado", disse Romney em Birmingham.

registrado em: