Você está aqui: Página Inicial / eleicoes 2014 / Eleições ao vivo / Acompanhe debate presidencial na Record

Acompanhe debate presidencial na Record

por admin publicado 26/09/2014 17h33, última modificação 05/10/2014 18h44
Veja em tempo real os melhores momentos do encontro entre os presidenciáveis neste domingo a partir das 22h30

Saiba como foi o debate desta segunda

Dilma parte para o ataque. Alvo de opositores, Dilma acusou Marina de ter votado contra a CPMF e partido do Aécio de vender parte da Petrobras "a preço de banana". Clique aqui e saiba como foi o debate no resumo da CartaCapital.

Acompanhe conversa com jornalistas da CartaCapital

Ao final do debate, acesso o site da CartaCapital para conversar com ao vivo com os jornalistas a respeito do debate. Envie suas perguntas com a hashtag #DebateNaCarta no Twitter ou no Facebook.

Levy: “não sou utópico, não vamos ganhar esta eleição”

Ao retornar do intervalo, Levy Fidelix fez suas considerações finais onde admitiu que não será eleito.

Levy Fidelix: "aparelho excretor não reproduz"


Ao falar sobre união entre homossexuais, Levy Fidelix disse que “aparelho escretor não reproduz” e que é necessário “enfrentar” essa minoria. O candidato do PRTB fez uma série de afirmações homofóbicas ao responder a candidata do PSOL que fez a pergunta sobre o tema. Ele disse que “dois iguais não se reproduzem” e que o Brasil diminuiria de tamanho caso isso fosse estimulado.

Marina: vou manter o crédito dos bancos públicos


Marina Silva disse que vai ampliar o crédito direcionado feito pelos bancos públicos, como o BNDES e a Caixa Econômica Federal, para estimular a economia. “Não só vou manter o crédito dos bancos públicos para o Minha Casa Minha Vida, para a agricultura, como vou fortalecer os bancos públicos. Isso é mais um boato que está sendo dito.”

Já Dilma disse que o programa de governo de Marina mostra que a candidata do PSB reduziria o papel dos bancos públicos caso fosse eleita.

Dilma: não se deve tratar os menores como sendo pessoas irrecuperáveis

Segundo Dilma, quadrilhas que aliciam menores de idade para praticar crimes devem ser punidas, mas eles devem receber medidas para ser reinseridos na sociedade. “É fundamental dar as penitenciarias condições para trazer os menores de volta para a sociedade.”

Aécio: PT quer administrar a pobreza, eu quero superá-la

Aécio Neves criticou discurso de Dilma Rousseff feito na Assembleia da ONU, em Nova Iorque, nesta semana. Nela, Dilma pediu diálogo com os rebeldes do Estado Islâmico, contra quem os Estados Unidos tem mantido atividade militar. "Não é possível que nós não possamos hoje compreender o esforço que o mundo está fazendo contra o terrorismo," disse o tucano.

O candidato ainda disse que o PT faz terrorismo ao falar que seus adversários vão acabar com programas sociais, como o bolsa família. O tucano disse que deve ampliar o programa se for eleito. "
Para o PT, interessa administrar a pobreza. Eu quero superar a pobreza," disse.

Marina Silva tem direito de resposta negado

Após Eduardo Jorge dizer que Marina Silva saiu do PV em uma disputa de poder pela direção do partido, Marina pediu espaço para falar e se defender. A Rede Record negou o pedido da candidata.

Luciana Genro: ninguém quer o aborto como método contraceptivo


Luciana Genro se mostrou favorável à descriminalização do aborto ao responder pergunta de jornalista. “O aborto é uma realidade. 800 mil abortos ocorrem todos os anos no Brasil. A cada dois dias morre uma mulher por aborto clandestino. O aborto é um drama para cada mulher,” disse Luciana Genro.

Na réplica, o pastor Everaldo disse que tem uma concepção “Não abortiva de planejamento familiar, da prevenção da gravidez. Mas sou a favor da vida desde a sua concepção.”

Marina: pessoas de berço de ouro podem ter compromisso com a justiça social

"Essa história que você, para defende interesses dos trabalhadores, tem que pertencer a mesma condição não é verdade. Conheço muitas pessoas que nasceram em berço de ouro e tem compromisso com a justiça social," disse Marina Silva ao responder sobre alianças com setores conservadores.

Marina disse que, se fosse presidenta, seria "o povo" quem decidiria sobre a continuidade de programas sociais. Em sua réplica, Aécio disse: "no nosso governo, sou eu que vou decidir"

Dilma elogia integração das polícias durante a copa

Dilma, ao responder sobre criminalidade, elogiou a integração das polícias durante a Copa do Mundo. Ela defendeu o diálogo durante o evento entre todas as esferas da federação. "Eu pretendo mudar as regras jurídicas e garantir que a união possa participar do combate à corrupção," disse a presidenta.

Malafaia ironiza Luciana Genro

Luciana Genro criticou Marina Silva por figuras que a apoiariam na campanha, como o pastor Silas Malafaia.

No twitter, o pastor escreveu "Acabo de comprovar que Luciana Genro me ama,acaba de me citar no debate da record,minha mulher esta ficando com ciúmes."

Dilma ganha direito de resposta

A presidenta ganhou direito de resposta após críticas feitas a ela pelo pastor Everaldo e Levy Fidelix, que lembraram as suspeitas de corrupção na Petrobras.

Durante seus trinta segundos, Dilma disse que demitiu o direto de abastecimento da empresa, Paulo Roberto Costa, e que a Polícia Federal do seu próprio governo o investigou.

Eduardo Jorge: Brasil está na contramão da história com petróleo

Eduardo Jorge disse que o Brasil está “na contramão da história, colocando petróleo cada vez mais na nossa matriz energética. Portanto, comprometendo definitivamente o nosso ar.”

O candidato do PV questionou o Pastor Everaldo dizendo que "morre uma pessoa por dia a cada um milhão de habitantes por causa da poluição do ar.”

Aécio: “vou reestatizar a Petrobras”


Dilma questionou o tucano sobre quais empresas ele estatizaria caso fosse eleito, falando do desejo do seu partido de vender a estatal na década de 90.

O tucano falou que o PT assaltou a empresa, citando as recentes denúncias de corrupção na estatal.

Dilma disse que “combate a corrupção para fortalecer a Petrobras". É eleitoreiro o senhor falar que vai reestatizar. Tentaram tirar o nome Bras para vender mais fácil no exterior."

Dilma e Marina discutem sobre etanol


Marina Silva questionou Dilma sobre a diminuição de programas de estímulo ao etanol. Segundo Marina, isso teria fechado 70 usinas e custado mais de 60 mil empregos.

Dilma respondeu Marina dizendo que “isso foi baseado naquilo que você é contra: subsídio. Nós temos subsídio para o etanol. Nós temos um conjunto de medidas para reforçar o setor de etanol.”

Luciana Genro lembra passado “tucano” de Eduardo Jorge

A candidata do PSOL questionou Eduardo Jorge sobre os cargos que ele teve em administrações do PSDB em São Paulo, onde ele foi secretário do Meio Ambiente. “Tu foste secretário do Kassab, secretário do serra, tu destes guarida aos governos mais truculentos, que são o do PSDB,” disse a candidata. Genro disse que a política de Eduardo Jorge esbarra nas alianças que ele e seu partido já fizeram.

O candidato respondeu que "
[Luciana] faltou aula de história do século XX. [O PV] não é partido pró capitalista nem socialista, é partido ecologista". Jorge também disse que "PSDB, PT e PSB são muito próximos. São socialistas com temperos capitalistas e liberais."

Eduardo Jorge chama Mais Médicos de “semi-escravidão”

Levy Fidelix criticou o programa Mais Médicos após fazer pergunta a Eduardo Jorge  sobre saúde. Em sua réplica, o candidato do partido verde reclamou da falta de formação de médicos no país e chamou a vinda dos médicos cubanos ao país de “semi-escravidão”. Ele também lembrou que o PT foi a favor do fim da CPMF.

Record nega pedidos de resposta de Dilma

A televisão negou os dois pedidos de resposta feitos pela presidenta, alegando que as críticas ao governo não geram a oportunidade dela falar novamente.

Dilma faz dois pedidos de direito de resposta


Dilma pediu duas vezes direito de resposta no primeiro bloco do debate na Rede Record. O primeiro, quando Marina Silva citou seu governo ao questionar Aécio Neves sobre política energética. O segundo, em resposta do Pastor Everaldo, que criticava a política econômica do governo.

Marina critica política energética de FHC e PT

Marina Silva perguntou a Aécio Neves sobre as ameaças de apagão durante a presidência de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. Ela também criticou o governo atual, do PT, que segundo ela gastou "bilhões e bilhões" em termoelétricas por falta de planejamento.

Em sua resposta, Aécio Neves lembrou que Marina mantinha um ministério no governo do PT, seu antigo partido, e que desta forma não poderia questionar esta política.

Dilma questiona Marina sobre votação da CPMF

Dilma questionou Marina sobre a sua posição como senadora na votação da CPMF, tributo que incidia sobre transações financeiras e era destinado à saúde.

"A senhora mudou de partido quatro vezes nesses 3 anos. No debate da Band, a senhora disse que tinha votado a favor da votação da CPMF. Qual foi mesmo o seu voto como senadora na questão da CPMF?", falou Dilma.

Marina disse que votou favorável, junto ao senador Eduardo Suplicy, ao fim da contribuição. “Mudei de partido para não mudar de ideias,” disse Marina, que saiu do PT.

Luciana Genro abre debate questionando Dilma

Luciana Genro (PSOL) abre o debate perguntando a Dilma Rousseff (PT) sobre os benefícios a aposentados, questionando ela sobre as “crueldades” que a presidenta faz a eles.

Dilma diz que houve um grande fortalecimento da previdência durante o seu mandato. Ela argumenta que, como a maior parte dos aposentados recebe benefícios atrelados ao salário mínimo, eles tiveram benefícios.

Começa agora o debate entre os candidatos à Presidência

Nos estúdios da TV Record, Dilma Rousseff (PT), Eduardo Jorge (PV), Marina Silva (PSB), Luciana Genro (PSOL) e Aécio Neves (PSDB) se encontram pela penúltima vez, há uma semana das eleições.

Esquenta para o debate

Acompanhe aqui a partir das 22h30 o debate entre os candidatos à Presidência da República da TV Record em tempo real.

Antes, jornalistas da CartaCapital estarão conversando com os leitores sobre o cenário eleitoral a uma semana das eleições. Assista neste link.