Você está aqui: Página Inicial / Educação / Greve nas federais: Sindicato rejeita proposta de forma unânime e convoca tuitaço

educação

Dois meses de paralisação

Greve nas federais: Sindicato rejeita proposta de forma unânime e convoca tuitaço

por Marcelo Pellegrini — publicado 23/07/2012 13h57, última modificação 23/07/2012 13h58
As Assembleias Gerais da Andes rejeitaram a proposta apresentada pelo governo e convocaram um tuitaço para a reunião desta segunda
Andes

O sindicato rejeitou a proposta oferecida pelo governo, na sexta-feira 13, para por fim à paralisação. Foto: Andes

O Comando de Greve da Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior (Andes) rejeitaram em unanimidade a proposta do governo federal, discutida em Assembleias Gerais entre os dias 16 e 20 de julho. Os professores preparam uma contraproposta para reunião com o governo federal, programada para esta segunda-feira 23, às 14 horas, no Ministério do Planejamento.

Em nota, o Comando de Greve afirma que as decisões das assembleias "reafirmam princípios e fundamentos da carreira do ANDES-SN, bem como a necessidade de melhoria das condições de trabalho e valorização salarial."

Segundo o sindicato, o plano de carreira apresentado pelo governo só aprofunda os problemas que os docentes enfrentam hoje. Além disso, a proposta de reajuste salarial de 45% foi considerada como enganosa. De acordo com a Andes, o reajuste é destinado apenas aos professores titulares - que representam uma pequena parcela dos docentes federais - e, se corrigida a inflação, o rejuste real é de apenas 10%.

Devido a isso, o sindicato convocou um tuitaço para esta segunda-feira 23. Programado para ocorrer poucas horas antes da reunião com o Ministério do Planejamento, a ação utilizará a hashtag #falaSerioMercadante para alertar sobre os rumos da educação pública e das condições de trabalho nas Instituições Federais de Ensino.

A reunião desta segunda-feira não coloca um fim na greve dos docentes federais, que já dura dois meses. Durante a semana, um nova rodada de assembleias locais acontecerá para discutir a manutenção da greve.