Você está aqui: Página Inicial / Economia / Mantega diz que Brasil não terá década perdida

Economia

Crise internacional

Mantega diz que Brasil não terá década perdida

por Redação Carta Capital — publicado 10/11/2011 14h43, última modificação 10/11/2011 14h43
Declaração da diretora-geral do FMI de que mundo deve viver anos difíceis no próximo decênio; ministro da Economia diz que País está blindado

Por Yara Aquino, da Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quinta-feira (10) que, apesar da baixa perspectiva de crescimento mundial em função da crise internacional, o Brasil não terá uma “década perdida”.

A expressão foi usada ontem (9) pela diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, ao alertar para o risco de uma "década perdida" para a economia global caso as nações não se unam e trabalhem juntas.

“Claro que é possível que os países avançados tenham uma década perdida, mas garanto aos senhores que o Brasil não vai ter uma década perdida por que temos as condições de reagir a essa crise, de neutralizar os resultado dessa crise sobre o Brasil”, disse ao discursar em evento no Palácio do Planalto.

Mantega disse que o agravamento da crise internacional exige o fortalecimento da economia brasileira “como um todo” e que para que o país possa ter êxito nessa "empreitada" é necessário um trabalho incessante do governo, do Congresso, aprovando leis e medidas, e da sociedade. “É preciso que sempre estejamos tomando medidas para o fortalecimento da economia brasileira e, sobretudo, que mantenhamos uma situação fiscal sólida”, explicou.

O ministro comentou ainda que é possível perceber que "estamos diante de uma crise de difícil solução” que afeta, sobretudo, os países avançados e que cada vez mais países entram na mira dos problemas. Mantega, no entanto, avaliou que eles conseguirão amenizar essa situação.

“Acho que eles vão acabar resolvendo, amenizando essa situação, mas também devemos estar preparados para que tenhamos problemas de baixo crescimento mundial ao longo de muitos anos”, explicou.

registrado em: