Você está aqui: Página Inicial / Economia / Lucro do Itaú Unibanco sobe 13,8% no 2º trimestre

Economia

Bancos

Lucro do Itaú Unibanco sobe 13,8% no 2º trimestre

por Brasil Econômico — publicado 02/08/2011 10h38, última modificação 02/08/2011 10h38
O patrimônio líquido do banco cresceu 20% e totalizava R$ 66,083 bilhões em 30 de junho, contra R$ 55,074 bilhões um ano antes

Por Micheli Rueda*

O Itaú Unibanco registrou lucro líquido de R$ 3,6 bilhões no segundo trimestre deste ano, valor 13,8% superior ao ganho de R$ 3,165 bilhões observado no mesmo período de 2010.

Segundo a instituição financeira, o resultado engloba o impacto dos efeitos não recorrentes - programa de pagamento ou parcelamento de tributos Federais, ajuste a valor de mercado e provisão para contingências - que somaram R$ 286 milhões no período.

Sem considerar tais efeitos, o lucro líquido recorrente atinge R$ 3,317 bilhões, caracterizando uma expansão mais tímida, de 0,6%, em comparação com o segundo trimestre do ano passado.

No primeiro semestre, o lucro líquido recorrente foi de R$ 6,955 bilhões, valor 7,6% maior ao visto um ano antes.

As receitas de prestação de serviços e de tarifas bancárias aumentaram 11,1% entre abril e junho, face a igual época de 2010, para R$ 4,672 bilhões.

A carteira de crédito, incluindo operações de avais e fianças, alcançou o saldo de R$ 360,1 bilhões em 30 de junho de 2011, com acréscimo de 22,3% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Do total, R$ 135,9 bilhões corresponderam a pessoas físicas e R$ 208,6 bilhões a pessoas jurídicas.

As despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa, por sua vez, atingiram R$ 5,107 bilhões, alta de 29,1% frente ao verificado no segundo trimestre do ano passado.

De acordo com a instituição, este desempenho reflete o deslocamento para as faixas de atraso superiores a 90 dias das carteiras em geral, e da carteira de micro e pequenas empresas em particular.

O índice de eficiência do segundo trimestre chegou a 48,3%, aumento de 0,5 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre de 2011. "Essa flutuação ocorreu, principalmente, em função da queda da margem financeira com o mercado, que fez com que a evolução do produto bancário não acompanhasse a evolução das despesas não decorrentes de juro", apontou o Itaú Unibanco.

O patrimônio líquido do banco cresceu 20% e totalizava R$ 66,083 bilhões em 30 de junho, contra R$ 55,074 bilhões um ano antes.

*Matéria publicad originalmente no Brasil Econômico