Você está aqui: Página Inicial / Economia / Europa e Ásia dão tom de alta ao mercado nacional

Economia

No Mundo

Europa e Ásia dão tom de alta ao mercado nacional

por Brasil Econômico — publicado 24/05/2011 10h44, última modificação 24/05/2011 10h46
A terça-feira foi positiva para a maior parte das bolsas asiáticas e a Europa também apresentou resultados otimistas. No Brasil, a Standard e Poors deu uma perspectiva positiva para a classificação do país no mercado internacional

Por Bárbara Ladeia

Com observações recentes das principais agências de risco, Ibovespa Futuro aponta tendência de alta apoiada no otimismo alemão, no ganho de confiança na Grécia e nos fechamentos favoráveis na Ásia.
O Ibovespa Futuro opera com ganhos de 0,53% aos 63 mil pontos.

Por aqui, apesar da piora nas contas públicas sinalizada na semana passada a Standard & Poors deu uma perspectiva positiva para a classificação do Brasil no mercado internacional, segundo anúncio da última segunda-feira 23.

Como nenhum indicador está previsto para esta terça-feira (24/5), a bolsa brasileira deve operar de olho no mercado internacional. Às 11h, o mercado deve acompanhar os números do setor industrial do Fed de Richmond nos Estados Unidos, além dos dados do mercado imobiliário.

Ásia

A terça-feira foi positiva para a maior porte das bolsas asiáticas, que encerraram o dia em leve alta, apesar dos temores em torno da dívida dos países da Zona do Euro.

Na última segunda-feira, a Moody's anunciou que o rating de outros países europeus poderão ser afetados com uma moratória da dívida da Grécia, o que espalhou o temor entre os investidores.

Em Tóquio, o índice Nikkei fechou com valorização de 0,2%. Em Hong Kong, o mercado subiu 0,09% e a bolsa de Taiwan avançou 0,1%, enquanto o índice referencial de Xangai perdeu 0,27%. Cingapura encerrou em alta de 0,08% e Sydney fechou com baixa de 0,3%.

Europa

Na Europa o compromisso da Grécia com a ampliação das privatizações fizeram os juros dos títulos da dívida no país recuarem significativamente.

O  Produto Interno Bruto (PIB) alemão avançou 1,5% no primeiro trimestre do ano, em termos reais, frente ao trimestre anterior. O número, que confirma a estimativa da agência de estatísticas Destatis, levantou os mercados europeus nesta manhã. Destaque para o índice da bolsa de Frankfurt, que opera com valorização de 0,75%.

No entanto, o otimismo alemão vem acompanhado do recuo nos pedidos à indústria da Zona do Euro. O índice desacelerou 1,8% em março, frente ao mês anterior, segundo informou nesta terça-feira a agência de estatísticas Eurostat.

Em fevereiro, o indicador havia avançado 0,5% na mesma base de comparação.

Para completar, a Fitch, agência classificadora de risco, colocou a classificação da Bélgica em perspectiva negativa após o fechamento dos mercados na tarde de segunda-feira.

*Matéria publicada originalmente em Brasil Econômico