Você está aqui: Página Inicial / Economia / Dívida pública aumenta em junho

Economia

Economia

Dívida pública aumenta em junho

por Agência Brasil publicado 21/07/2011 17h30, última modificação 21/07/2011 19h45
Esta foi a maior expansão mensal no ano, que de acordo com o relatório da dívida, soma 1,805 trilhão de reais

Por Stênio Ribeiro, da Agência Brasil*

A dívida pública federal aumentou 3,39% no mês passado e soma 1,805 trilhão de reais. Foi a maior expansão mensal no ano, de acordo com o relatório mensal da dívida, divulgado nesta quinta-feira 21 pelo coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Fernando Garrido.

Ele explicou que houve uma emissão líquida de 43,31 bilhões de reais em títulos públicos no mês de junho, dos quais R$ 30 bilhões foram repassados para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ao amparo da Medida Provisória 526, que autoriza emissões equivalentes a R$ 55 bilhões para o banco de fomento.

Resta ainda um saldo de 25 bilhões de reais para reforçar o caixa do BNDES, e que “vão contribuir com mais investimentos para as empresas, expansão da capacidade produtiva do país, melhora dos níveis de emprego e mais crescimento econômico”, segundo Garrido. Ele ressaltou, contudo, que não sabe quando serão emitidos novos títulos para o BNDES.

Da dívida total, 1,729 trilhão de reais são relativos à Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) e 75,97 bilhões de reais são computados na Dívida Pública Federal externa (DPFe). Enquanto a DPMFi, que equivale a 95,79% do total, cresceu 3,86% em junho, a DPFe, que representa 4,21% da dívida geral, encolheu R$ 5,11 bilhões em relação a maio.

No mês passado, o Tesouro emitiu 71,66 bilhões de reais em títulos públicos, dos quais 67,84% com remuneração prefixada, 27,29% indexados indexados a índices de preços e 4,78% corrigidos à taxa flutuante. Os resgates de títulos em poder do público somaram 28,35 bilhões de reais, o que resultou em emissão líquida de 43,31 bilhões de reais que se somam aos 15,84 bilhões de reais de juros sobre o estoque da dívida.

De acordo com Fernando Garrido, a parcela da dívida pública atrelada a títulos prefixados aumentou de 36,38% em maio para 38,13% em junho, e “isso ajuda no perfil de composição da dívida”. Os títulos indexados a índices de preços aumentaram um pouco, de 26,67% para 26,96%, e os outros dois indexadores caíram. A parcela atrelada à taxa Selic caiu de 32,50% para 30,91% e os títulos referendados pelo câmbio baixaram de 4,45% para 4,01%.

O relatório do Tesouro mostra que houve melhora no perfil da dívida quanto aos vencimentos, em termos percentuais. Os compromissos de curto prazo (12 meses) caíram de 21,20% em maio para 21,03% em junho, embora se registre aumento nominal de valor, que passou de 370,24 bilhões de reais para 379,64 bilhões de reais.

*Matéria publicada originalmente na Agência Brasil