Você está aqui: Página Inicial / Economia / Copom eleva juros a 11,75%, taxa mais alta em dois anos

Economia

Juros

Copom eleva juros a 11,75%, taxa mais alta em dois anos

por Rede Brasil Atual — publicado 03/03/2011 16h39, última modificação 03/03/2011 16h39
É a segunda alta concecutiva, já que elevação semelhante havia sido promovida em janeiro pelos diretores do Banco Central

Por  Anselmo Massad e Vitor Nuzzi*

São Paulo – O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, elevar em 0,5 ponto percentual, para 11,75%, a taxa Selic, os juros básicos da economia. É a segunda alta concecutiva, já que elevação semelhante havia sido promovida em janeiro pelos diretores do Banco Central. Desde o início da gestão de Dilma Rousseff, a alta acumulada é de um ponto percentual.
Ao alcançar 11,75%, a taxa básica de juros da economia tem o nível mais alto desde março de 2009 (12,75%). À época, o Copom promovia uma série de cortes no contexto da crise econômica internacional. O mais drástico foi justamente o de 1,5 ponto, em março daquele ano.
Economistas de bancos e instituições financeiras apostavam nesse ritmo de elevação dos juros. Como o Banco Central considera a previsão do mercado e os juros futuros como um dos pontos-chave para decidir, o anúncio era esperado.
O Copom vê ameaças de inflação de demanda, quer dizer, o aquecimento da economia faz com que mais gente tenha poder de compra, o que pressiona os preços a aumentar. Aliado a isso, segundo analistas, há fatores sazonais, como reajustes de transportes e os relacionados ao início do período escolar, além de questões internacionais, como a alta das commodities (produtos agrícolas e minerais).
Entidades ligadas ao setor industrial e sindicatos de trabalhadores manifestaram-se contrariamente à medida. Economistas também criticam a postura do BC, que mostra pouco cuidado com as taxas de investimento do setor público brasileiro.
A próxima reunião do Copom será realizada em 19 e 20 de abril.
* Matéria originalmente publicada na Rede Brasil Atual