Você está aqui: Página Inicial / Economia / BTG adquire fatia de Silvio Santos no Panamericano

Economia

Aquisição

BTG adquire fatia de Silvio Santos no Panamericano

por Brasil Econômico — publicado 01/02/2011 09h35, última modificação 01/02/2011 09h35
O Banco BTG Pactual fechou na noite desta segunda-feira (31/1) um acordo para a aquisição de todas as ações do Grupo Silvio Santos no Banco Panamericano por R$ 450 milhões. Do Brasil Econômico

O Banco BTG Pactual fechou na noite desta segunda-feira (31/1) um acordo para a aquisição de todas as ações do Grupo Silvio Santos no Banco Panamericano por R$ 450 milhões.

Segundo informe divulgado, com o negócio o BTG passa a ter 37,64% da instituição de varejo, com 51% das ações ordinárias e 21,97% das preferenciais.

De quebra, o BTG e a Caixa Econômica Federal firmaram um acordo de acionistas, pelo qual a Caixa manterá sua participação de 36,56% no capital total do Panamericano, que atua nos segmentos de crédito ao consumidor e no atendimento a empresas médias.

"Na data da conclusão do negócio, será realizada uma Oferta Pública de Aquisição de Ações (OPA) aos minoritários nas mesmas condições oferecidas ao acionista controlador pelo preço de R$ 4,89 por ação", acrescenta a nota.

No pregão desta segunda-feira, as ações do Panamericano atravessaram forte volatilidade, alternando valorização de 10,48%, na máxima do dia, e queda de 5,47%, na mínima. Ao final do pregão encerraram em baixa de 2,96%, cotadas a R$ 4,26.

O sócio do BTG José Luiz Acar Pedro será o novo CEO do Panamericano, que terá atuação independente do BTG Pactual. "Investiremos em sistemas, processos e aprimoramento da eficiência, além de criação de novos produtos e suporte aos clientes, franqueados, promotores de venda e na intensificação da nossa parceria com a Caixa", explicou Acar.

No comunicado, André Esteves, CEO do BTG, destaca a criação de uma nova linha de negócios no Brasil. "O Panamericano será uma plataforma independente de distribuição de produtos e crédito para o varejo", declarou, enfatizando a parceria com a Caixa.

Além da estratégia de ampliar a oferta de produtos e serviços financeiros com seus canais de distribuição, a Caixa reiterou o compromisso de manutenção da parceria estratégica com o Panamericano, através do fechamento de um acordo de cooperação, por meio do qual adquirirá direitos creditórios e aplicará em depósitos interfinanceiros do banco.

O comunicado ao mercado foi enviado após o término da reunião em que Silvio Santos, controlador do Panamericano, e André Esteves estavam presentes.

"Estou livre. Quem queria comprar o SBT, ele não está mais à venda. Também não estão mais à venda a Jequiti e as Lojas do Baú. Não ganhei nada, mas também não perdi nada", declarou Silvio ao ser abordado por jornalistas após a reunião.

Ele afirmou que as empresas do Grupo SS não são mais garantia para o empréstimo do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Em novembro, após o Banco Central constatar inconsistências contábeis no Panamericano, a holding controladora da instituição precisou de um empréstimo de R$ 2,5 bilhões do FGC. À época, Silvio Santos colocou as empresas do grupo como garantia de pagamento do empréstimo.

O popular apresentador de TV disse que está muito confiante com a administração do BTG, "pois é formada por pessoas que têm experiência e vão fazer o banco crescer. Elas não fizeram um mau negócio".

*Matéria publicada originalmente no Brasil Econômico