Você está aqui: Página Inicial / Economia / Brasil é contestado na OMC

Economia

Economia

Brasil é contestado na OMC

por Agência Brasil publicado 15/10/2011 10h40, última modificação 15/10/2011 18h21
Japão, Coreia do Sul e EUA questionam os 30 pontos percentuais de aumento no IPI brasileiro; UE também demonstra 'preocupação'

Por Luciene Cruz, da Agência Brasil

O aumento de 30 pontos percentuais no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) estabelecido pelo governo brasileiro foi questionado pelo Japão, pela Coreia do Sul e pelos Estados Unidos durante a reunião do Comitê de Acesso ao Mercado da Organização Mundial do Comércio (OMC) nesta sexta-feira (14). O debate foi aberto após questionamento do Japão.

O Itamaraty disse que não houve “queixa formal” dos países contra o Brasil na OMC. No entanto, a formalização ainda pode ocorrer. O Comitê de Acesso ao Mercado serve para discutir medidas comerciais aplicadas pelos países membros da organização. A discussão demonstra insatisfação dos parceiros comerciais que exportam carros ao Brasil, a respeito da medida brasileira que serve para proteger a produção de veículos no país.

A União Europeia e a Austrália também demonstraram “preocupação” com a medida adotada pelo governo brasileiro. Segundo o Itamaraty, o Brasil alegou que o aumento é temporário, visto que a medida vigora até dezembro do ano que vem. O Ministério das Relações Exteriores informou, ainda, que se colocou à disposição dos países que reclamaram da redução do imposto para esclarecimentos.