Você está aqui: Página Inicial / Economia / Apesar da crise, o número de turistas no mundo foi recorde em 2012

Economia

Relatório da OMT

Apesar da crise, o número de turistas no mundo foi recorde em 2012

por AFP — publicado 29/01/2013 10h13, última modificação 29/01/2013 10h14
O número de turistas no mundo superou pela primeira vez a barreira de um bilhão de pessoas, segundo a Organização Mundial do Turismo, e segue com tendência de alta para 2013

MADRID, Espanha (AFP) - O número de turistas no mundo superou pela primeira vez em 2012 a barreira de um bilhão de pessoas, com uma alta de 4% em relação ao ano anterior, apesar do contexto global de "instabilidade econômica", de acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT).

Para 2013, a tendência de alta será mantida a um ritmo levemente inferior, com a chegada de turistas aumentando entre 3% e 4%, acrescentou o organismo, subordinado às Nações Unidas.

Mais a longo prazo, a OMT prevê uma alta de 3,8% anual em média, entre 2010 e 2020, alcançando 1,8 bilhão até 2030.

"Pela primeira vez superamos um bilhão. Nós nos encontramos em 1,035 bilhão de viajantes internacionais. É cerca de 39 milhões de turistas a mais que em 2011", destacou o secretário-geral da OMT, Taleb Rifai.

Apesar da instabildiade econômica, principalmente na Eurozona, o turismo internacional conseguiu manter seu rumo de recuperação depois de 2009, um ano que Rifai classificou de "o pior em 60 anos para o turismo".

Depois de cair 3,9% em 2009, o número de turistas subiu 6,6% em 2010 e 5% em 2011.

Como em 2012, a região da Ásia e do Pacífico lideraram as estimativas de aumento em 2013 (5% e 6% previstos respectivamente), seguidos da África (de 4 a 6%), o continente americano (de 3 a 4%) e Europa (2 a 3%).

Em compensação, no Oriente Médio, sacudido pelos conflitos e as tensões na Síria, Egito e Líbano, as previsões de crescimento se encontram entre 0 e 5%.

Na América Latina, o turismo internacional continuou crescendo no último ano.

A região mais beneficiada foi a América Central (+6,2%), enquanto que a afluência de viajantes para a América do Sul aumentou 4,7%, uma alta inferior à dos dois anos anteriores, quando os dois dígitos.