Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Verdades e mentiras

Cultura

Teatro

Verdades e mentiras

por Redação Carta Capital — publicado 10/11/2012 10h17, última modificação 10/11/2012 10h17
Thiago Amaral vive um rapaz em rota de colisão paterna na peça Ficção, em cartaz no Sesc Pompeia em São Paulo
peçapost

Coelho em conflito. Thiago Amaral como o rapaz em rota de colisão paterna

por Álvaro Machado

Qual a dose de ficção que mesclamos à realidade para que as coisas façam sentido? Ou quão mais pobre seria nosso cotidiano sem invenção? E, ainda, como sustentar nossas personas sem um mínimo de fantasia? A dramaturgia de Ficção propõe essas subestimadas questões e oferece um estímulo poderoso à reflexão por meio de seis monólogos, assinados por seus atores em co-autoria com Leonardo Moreira, prêmios Shell de dramaturgia em 2010 e 2011 com Cachorro Morto e O Jardim, respectivamente.

“O filme Jogo de Cena, de Eduardo Coutinho, foi uma das obras discutidas para esse trabalho, que radicaliza uma vertente já presente em O Jardim, mas também nos valemos da filosofia do esloveno Slavoj  Zizek e do poeta israelense Yehuda Amichai”, diz Moreira. O resultado em termos de textos, desenvolvidos a partir da experiência de cada um dos atores da Cia. Hiato, é de um acabamento sem arestas.

Dúvidas podem ser esclarecidas ao final do espetáculo, no camarim.  Para saber, por exemplo, o que há de fato no depoimento de um rapaz (Thiago Amaral) que para sublimar relação conflituosa com o pai reabilita fantasia de coelho.

Ficção
Sesc Pompeia, São Paulo
Até 18 de novembro

registrado em: