Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Um prazer enciclopédico

Cultura

Fotografia

Um prazer enciclopédico

por Rosane Pavam publicado 11/11/2011 10h59, última modificação 11/11/2011 10h59
A editora Cosacnaify lança no Brasil cinco volumes da coleção francesa de bolso que deu um novo status para a arte
Um prazer enciclopédico

Preto e Branco, de Man Ray (1926)

O termo “enciclopédia fotográfica” talvez não fizesse qualquer sentido até 1982, quando Robert Delpire criou a sua para o Centro Nacional de Fotografia da França. O editor decidira não somente catalogar a produção dos mestres, como apresentá-la em invólucro sofisticado a um grande público, no formato de coleção de bolso. A inovação de Delpire também residia em providenciar uma abordagem artística à fotografia, já que o público até então, em sua maioria, apenas a enxergava como resultado de técnica. A coleção surpreendia, ainda, ao apresentar individualmente o trabalho dos artistas fotográficos após uma apresentação crítica. Cada foto, além de publicada sem cortes, em excelente impressão, surgia identificada com a data de produção e o título que o autor lhe dera. As páginas ímpares de cada volume vinham ocupadas por uma única imagem, e se seguiam às legendas situadas nas páginas pares.

O sucesso dessa empreitada que nem todos, de início, perceberam inovadora, não foi somente francês. Editada em diversos países por três décadas, a coleção recebeu variações de apresentação editorial, a começar pelas cores da capa: ela era vermelho-cereja na Itália, prata no Japão, verde na Espanha e havia cores diferentes para cada livro na Inglaterra.Nos anos 80 daquele século XX, contudo, existiam disponíveis no Brasil apenas os pequenos exemplares franceses em fundo preto, que se tornariam joias importadas acessíveis para quem amava a arte, até que a editora Cosacnaify apresentasse um projeto de edição gradativa desses volumes no País.

A partir de agora, portanto, será cada vez menos preciso correr aos sites e livrarias franceses para obter um item precioso entre os 150 da coleção Photo Poche, originalmente editada pela Actes Sud. A editora brasileira lançará inicialmente cinco grandes fotógrafos em um formato de caixa negra, a 159 reais, mas poderá vender as unidades separadamente, a 34 reais. Os volumes relativos a cada fotógrafo terão tiragens diferentes: serão 5 mil exemplares para Helmut Newton e Elliott Erwitt, e 7 mil para Sebastião Salgado,Man Ray e Henri Cartier-Bresson. O compromisso da Cosacnaify, segundo o diretor editorial Cassiano Elek Machado, é o de lançar no mínimo quatro novos títulos anualmente. Mas, em 2012, a editora já planeja encher as prateleiras das livrarias com entre oito e dez novos livros da coleção.

Leia a matéria completa na edição 672 de CartaCapital, nas bancas nesta sexta-feira 11