Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Tribunal de intérpretes

Cultura

DVD

Tribunal de intérpretes

por Orlando Margarido — publicado 02/03/2011 16h49, última modificação 02/03/2011 16h49
Neste filme, Mueller-Stahl oferece bela atuação como o imigrante húngaro na América acusado de crimes nazistas. Quem vai defendê-lo é a filha, reputada advogada de Chicago

Havia muitas razões para se lembrar do cineasta Constantin Costa-Gavras na 61ª edição do Festival de Cinema de Berlim, encerrado há uma semana. Primeiro, pela presença do próprio diretor na programação de abertura. Também numa seleção especial, a filha de Gavras, Julie, exibia seu mais novo filme, Late Bloomers. Mas o motivo principal da presença do diretor grego na Berlinale se devia à homenagem ao ator alemão Armin Mueller-Stahl, que recebeu de Gavras um prêmio honorário pela carreira. Logo em seguida, foi exibido Muito Mais Que um Crime, ou Music Box no original, com o ator no elenco e que rendeu ao realizador seu Urso de Ouro em 1990.
Neste filme, Mueller-Stahl oferece bela atuação como o imigrante húngaro na América acusado de crimes nazistas. Quem vai defendê-lo é a filha (Jessica Lange), reputada advogada de Chicago que crê na inocência do pai e quer prová-la. Temos a partir daí um drama de tribunal levado com eficiência, mas alguma previsibilidade por Gavras. Este, como se sabe, não é seu território de maior habilidade, e sim o político, que desenvolveu em clássicos como Z ou Desaparecido – Um grande mistério. As dúvidas e os contrapontos a que se dá direito nesses filmes não se renovam aqui, e o que poderia gerar uma interessante discussão sobre culpabilidade é descartado.
Gavras, contudo, tem dois bons atores em cena. Especialmente Mueller-Stahl, que fazia aqui sua travessia da Alemanha, onde havia trabalhado com diretores importantes como Rainer Werner Fassbinder (Lola), para os Estados Unidos, ganhando fama internacional. Logo em seguida atuaria em Avalon, de Barry Levinson, e Uma Noite sobre a Terra, de Jim Jarmusch, no papel do taxista simpático que o fez popular.
Muito mais que um crime, direção de Constantin Costa-Gavras. Lume Filmes