Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Tensão filial

Cultura

Bravo!

Tensão filial

por Orlando Margarido — publicado 20/01/2013 08h43, última modificação 20/01/2013 08h45
IMS, no Rio de Janeiro, recebe ciclo de oito títulos do cineasta Bernardo Bertolucci até quinta-feira 24

Ciclo Bernardo Bertolucci
À Luz da Lua, IMS-RJ
La Luna
DVD, R$ 45 (nas lojas do IMS)

É estimulante que nos chegue em DVD pelo Instituto Moreira Salles a redescoberta deste La Luna, um Bernardo Bertolucci fundamental de 1979, momento em que o cineasta italiano lança Eu e Você. São filmes que se comunicam em suas diferenças. Em ambos há o adolescente em embate com o universo adulto, no primeiro pelo sentimento confuso de atração e reação à mãe que converge ao incesto, no outro, na tentativa de suprimir a vida adulta pelo escape. Bertolucci abole o pai e a mãe de Eu e Você, dando a uma sedutora meia-irmã (Tea Falco) a tarefa de amadurecer o retraído Lorenzo (Jacopo Olmo Antinori). Seu tema recorrente da filiação se dá pela ausência dela.

Eu e Você integra o ciclo de oito títulos do diretor que se realiza no IMS-RJ de sexta 18 até quinta 24. Falta para melhor análise de sua obra o ótimo A Estratégia da Aranha, em que a busca pelo pai surge. Mas comparece O Conformista, estudo de um fascista pelo caminho psicanalítico. Ambas as vertentes se sintonizam em La Luna quando uma cantora lírica (Jill Clayburgh) tenta reaver o filho (Matthew Barry) do vício das drogas.

É um filmede desordem, dizia o diretor, que se recompõe quando surge o pai. Na estreia, La Luna provocou pela tensão sexual, e se não se pode dizer que o tabu é passado, hoje deixa mais espaço a sua real reflexão crítica a partir da psicanálise. Conversas para tanto acontecem sexta 18, às 14 horas, e dia 25, às 20 horas, com a presença de especialistas no IMS.

registrado em: