Você está aqui: Página Inicial / Cultura / J.K. Rowling para adultos

Cultura

Literatura

J.K. Rowling para adultos

por AFP — publicado 28/09/2012 11h21, última modificação 28/09/2012 12h13
Embora já tenha vendido milhares de cópias antecipadamente, o romane The Casual Vacancy divide os críticos
JK Rowling

Exemplares do novo romance da escritora J. K. Rowling são expostos em uma livraria de Londres em 27 de setembro. Foto: ©AFP / Carl Court

LONDRES (AFP) - O primeiro romance para adultos de J.K. Rowling, a mãe de Harry Potter, chegou na quinta-feira 27 às livrarias com a garantia de ser um best-seller graças às milhares de cópias vendidas antecipadamente, mas os críticos estão divididos em relação a esta sátira política e social.

As livrarias britânicas abriram antes da hora para permitir que os fãs da escritora comprassem o mais rápido possível um exemplar de The Casual Vacancy.

A famosa livraria Foyles de Londres empilhou centenas de cópias do livro de 512 páginas com sua inconfundível capa vermelha, contudo, não havia nem filas nem muitos compradores.

"Harry Potter teve um papel importante em meu crescimento, por isso tive a curiosidade de saber o que ela escreveu", disse Rhiane Jones, a primeira compradora.

"Talvez não tenha o estilo mais elegante, mas é uma contadora de histórias fabulosa", acrescentou esta mulher de 29 anos.

O romance, que transcorre em Pagford, uma cidade aparentemente idílica no sudoeste da Inglaterra, começa com a morte de um vereador local e narra a guerra para substituir o cargo vago em um conselho encarregado de gerir um pobre conjunto habitacional.

O livro também aborda temas distantes do universo do jovem bruxo, as drogas, prostituição, a família monoparental e o desejo adolescente.

A novela dividiu os primeiros críticos. Enquanto alguns elogiaram sua mensagem social no estilo Charles Dickens, outras acharam insosso ou expressaram espanto com as cenas sombrias de sexo e drogas, mas no geral acharam as partes envolvendo adolescentes as melhores.

Para o The Times, J.K. Rowling, que como Dickens alcançou a fama com a pobreza, comprometeu-se em "reviver a ideia do romance como uma força para o bem social".

"O díficil, neste romance grosseiro, é a diferença entre o nível de interesse do leitor em um mundo completamente inventado, como era o de Harry Potter, e o mundo em que estamos presos", acrescentou.

A crítica do Daily Telegraph diz que o romance "às vezes é engraçado, às vezes bem observador, e cheio de crueldade e desespero". A fraqueza, segundo o jornal, é quando se concentra na política.

Para o The Independent, contudo, o romance "ganha em paixão, orgulho e magia" quando trabalha os personagens adolescentes, enquanto que o Daily Mirror o considerou "grosseiro, brutal e deprimente".

Apesar de tudo, com cerca de um milhão de cópias encomendadas, seu sucesso está assegurado, e muitos esperam que seja o livro de ficção mais vendido do ano.

A escritora arrecadou uma grande fortuna com Harry Potter, entre os sete livros, filmes, jogos e até parque temático.

Neste momento, J.K Rowling prepara dois novos livros infantis.

Mais informações em AFP Móvil