Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Por uma fotografia artística mais democrática

Cultura

Inaugurações

Por uma fotografia artística mais democrática

por Bruno Huberman — publicado 22/11/2010 16h37, última modificação 22/11/2010 16h39
Fotógrafos lançam portal e exposição com grandes nomes para popularizar a comercialização da fotografia de alta qualidade

Fotógrafos lançam portal e exposição com grandes nomes para popularizar a comercialização da fotografia de alta qualidade

Fotografia é arte. É isso o que pensam os fotógrafos André Andrade, Cássio Vasconcellos e Lucas Lenci. Na onda do “boom” do mercado fotográfico nacional e mundial, os três decidiram unir-se para lançar um site para a venda de fotografia com um nível de qualidade “museológico” inédito no Brasil. Nesta segunda-feira 22, serão lançados o portal para venda on-line (www.fotospot.com.br) e uma exposição com obras de todos os nomes que compõe o time de primeira que conseguiram formar. Fotógrafos da estirpe de Araquém Alcântara, Bob Wolfenson, Walter Firmo, Cristiano Mascaro e Klaus Mitteldorf estarão lá. “Antes mesmo de lançarmos o site já vendemos algumas fotografias”, conta Vasconcelos.

Os três se aproveitam do aquecimento do mercado fotográfico que permitiu um maior número de festivais, exposições e congressos sobre fotografia no Brasil. “È um momento muito oportuno para o lançamento dessa iniciativa. Cada vez mais empresas estão investindo nessa técnica”, conta o crítico de arte e curador Paulo Klein, antigo militante do reconhecimento da fotografia como manifestação artística.

A Fotospot trabalhará a impressão tipo jato de tinta, utilizada nos grandes museus e galerias do mundo e que mantém a fotografia por cem anos sem perder qualidade. “O que nós percebemos é que no Brasil e em São Paulo não há um lugar confiável para você comprar fotografia de qualidade a um preço mais acessível”, conta Lenci. “Nas galerias as edições são limitadíssimas, tem apenas aquelas ampliações gigantes e o preço é exorbitante”, completa.

O portal aderiu a uma inovação do mercado fotográfico internacional de limitar a tiragem das ampliações. Cada fotografia que for vendida será assinada pelo autor como um “selo de qualidade”. “Isso valoriza a fotografia. Foto sem edição limitada não vende, conto por experiência própria. As pessoas buscam essa exclusividade também na fotografia”, explica Vasconcellos. “Assim que as edições forem acabando, as fotografias e os fotógrafos ficarão mais valorizados. Isso é bom para a fotografia artística”, analisa Klein.

Para o sucesso do projeto, os idealizadores confiam no atual momento de percepção da imagem fotográfica pelo público menos erudito. “Há uma aceitação maior das pessoas em entenderem uma fotografia artística a uma pintura”, diz Andrade. “Nós queremos democratizar o mercado fotográfico”. Por mais que tenham essa vontade, o acesso continuará bem restrito, pois o preço continua bem salgado ao variar entre 450 e três mil reais.

Exposição

Galeria Estação

Rua Ferreira de Araújo, 625 – Pinheiro, São Paulo

Segunda a sexta-feira das 11h às 19h

Sábado das 11h às 15h