Você está aqui: Página Inicial / Cultura / O fino da bossa cubana

Cultura

DVD

O fino da bossa cubana

por Araújo Lopes — publicado 23/03/2011 10h23, última modificação 23/03/2011 10h40
Tetê Moraes registra um encontro de Donato com seus colegas de profissão. Um Buena Vista Social Club com molho brasileiro, registrado no 24º Festival Internacional Jazz Plaza em 2008.

(NASCI PARA BAILAR – HAVANA-RIO, Tetê Moraes, Biscoito Fino)
Há 60 anos o pianista e arranjador brasileiro João Donato se encontra com amigos músicos para tocar e transformar esses momentos em performances históricas. O hábito começou no fim dos anos 40, quando o acriano Donato recém-chegara ao Rio. De família musical – o pai era major, piloto de avião e bandolinista, a mãe gostava de cantar e o irmão planejava ser concertista de piano –, ele decidira aprender piano, instrumento mais próximo daquele que dominava, o acordeão. Daí a participar das reuniões na casa de Dick Farney, no início da bossa nova, foi um pulo.
Pianista, Donato tocava em boates e orquestras. Foi admirado por Tom Jobim, João Gilberto, Vinicius, Johnny Alf. Passou dez anos nos Estados Unidos. Nas sessões de jazz, descobriu a música latina do pianista Bebo Valdés, de Tito Puente e Mongo Santamaría. E aprendeu a unir o jazz à música caribenha, ao samba e a outras batidas africanas.
Por isso tudo, é fácil entender o sorriso de João Donato no documentário Nasci para Bailar – Havana-Rio (54 minutos, mais 30 de extras), em que Tetê Moraes registra um encontro de Donato com seus colegas de profissão. O evento se deu em 2008 na cidade, onde ocorria o 24º Festival Internacional Jazz Plaza. O brasileiro improvisa sobre temas conhecidos da cultura cubana e dos seus próprios sucessos, como A Paz, Bananeira, Amazonas, Café com Pão, Brisa do Mar e Nasci para Bailar, esta em parceria com Paulo André, que dá nome ao DVD. A partir de seu clássico A Rã, o grupo improvisa por mais de 20 minutos. Um Buena Vista Social Club com molho brasileiro.