Você está aqui: Página Inicial / Cultura / O autêntico popular

Cultura

Cinema

O autêntico popular

por Orlando Margarido — publicado 24/04/2013 18h34
Confira os destaques do ciclo Howard Hawks Integral, no Cine Humberto Mauro, em Belo Horizonte, até 12 de maio
Marilyn Monroe e Jane Russell

Marilyn Monroe e Jane Russell em "Os Homens Preferem as Loiras (1953)"

Howard Hawks integral
Cine Humberto Mauro, Belo Horizonte
Até 12 de maio

É verdade que Howard Hawks (1896-1977) experimentou muito do que filmou. Isso confere a seus filmes uma autenticidade, como descreve o crítico francês Jean Tulard acerca do domínio da ação, por Hawks ter participado como aviador da Primeira Guerra Mundial e ter sido piloto de corrida. Sabia assim, diz ele, dar porte não de super-heróis a seus protagonistas, mas de homens comuns, falíveis, ainda que dotados de heroísmo. Dessa forma, conquistava a popularidade. Mas também sabia criar o fascínio em torno de um universo que não era o dele, no filme de gângster (Scarface – A Vergonha de uma Nação), no noir (o fundamental À Beira do Abismo) e no western (Rio VermelhoRio da AventuraOnde Começa o Inferno). Conhecer essa trajetória na íntegra é a rara possibilidade que o ciclo do Cine Humberto Mauro, em Belo Horizonte, nos oferece até 12 de maio.

Há desde raridades como Enquanto os Maridos se DivertemO Último Caso de Trent, ambos da fase silenciosa dos anos 1920, que expiam a falta dos títulos do período The Road to GloryThe Air Circus, sem cópias disponíveis segundo os organizadores. The Road… tem mesmo título original de Caminho da Glória, de 1936, sobre regimento francês durante a Primeira Guerra Mundial, portanto tema próximo ao diretor. Ainda assim ele requisitou, como fez diversas vezes, o auxílio de um amigo escritor, William Faulkner. Esse assinou ainda o roteiro de Uma Aventura na Martinica, sobre livro de Ernest Hemingway, outro parceiro. É célebre a aposta de Hawks com o autor de que faria um belo filme de seu pior romance. O diretor, sabe-se, venceu e de quebra lançou Lauren Bacall, que repetiria o par romântico com Humphrey Bogart, então seu marido, em À Beira do Abismo.

As lindas atrizes formam quase um gênero à parte na filmografia de Hawks. Por emprestar-lhes personalidades voluntariosas e intimidadoras aos homens, que se encolhem assustados, o cineasta ganhou certa fama de misógino, embora ele apenas se divirta nos lapidares Levada da Breca, com Katharine Hepburn, e Os Homens Preferem as Loiras (1953), com Jane Russell e Marilyn Monroe. Por essa última Hawks não foi o responsável, mas contribuiu para firmar seu estrelato com O Inventor da Mocidade. Para quem quiser sempre voltar a esse realizador determinante, a Versátil põe no mercado uma caixa de DVDs com À Beira do AbismoTerra dos FaraósRio da Aventura.