Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Mino Carta lança em SP o livro 'O Brasil'

Cultura

Literatura

Mino Carta lança em SP o livro 'O Brasil'

por Redação Carta Capital — publicado 26/02/2013 11h00, última modificação 26/02/2013 18h27
Com posfácio de Alfredo Bosi, o romance intercala ficção e realidade para narrar a história recente do Brasil e do jornalismo

O jornalista Mino Carta, diretor de Redação de CartaCapital, lança nesta terça-feira 26, em São Paulo, o romance O Brasil (Record, 356 páginas), uma devassa da história e do jornalismo brasileiro por meio da ficção. O lançamento acontece a partir das 19h na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. No dia 5 de março, o livro será apresentado ao público carioca na Livraria da Travessa do Shopping Leblon.

Com posfácio assinado por Alfredo Bosi, o livro é narrado a partir da morte de Getúlio Vargas, um tiro que, nas palavras do personagem Waldir, um professor de História e Geografia no Colégio do Estado, vai ser escutado “por muito tempo”.

É a partir desse cenário que Mino Carta, lançando mão de sua experiência comandando alguns dos principais veículos de imprensa do país, constrói um enredo entremeado por memória.

Genovês nascido em uma data incerta entre 6 de setembro de 1933 e 6 de fevereiro de 1934, Mino Carta começou no jornalismo em 1950, cobrindo a Copa do Mundo como correspondente do jornal Il Messaggero, de Roma. Colaborou de 1951 a 1955 com a revista Anhembi, fundada e dirigida por Paulo Duarte, e foi redator da agência Ansa em São Paulo. Mudou-se para a Itália em 1957, trabalhando como redator dos jornais La Gazzetta del Popolo, de Turim, Il Messaggero e como correspondente do Diário de Notícias do Rio e da revista Mundo Ilustrado. Voltou em 1960 para o Brasil, onde fundou e foi diretor de redação da revista Quatro Rodas. Também fundou e dirigiu a edição de esportes de O Estado de S. Paulo (1964/1965). Dirigiu o Jornal da Tarde (1966/1968), a revista Veja (1968/1976), a revista IstoÉ (1976/1981) e o Jornal da República (1979/1980). Foi diretor de redação da revista Senhor de 1982 a 1988 e da revista IstoÉ de 1988 a 1993, quando saiu para fundar a revista CartaCapital.

Em 2001, também pela Editora Record, lançou o best seller O Castelo de âmbar.