Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Memória aberta, a trajetória de Rubens Paiva

Cultura

Exposição

Memória aberta, a trajetória de Rubens Paiva

por Redação Carta Capital — publicado 17/02/2011 16h32, última modificação 17/02/2011 17h42
Exposição resgata a história do deputado federal pelo PTB de São Paulo preso durante a ditadura, desaparecido há 40 anos.

Exposição resgata a história do deputado federal pelo PTB de São Paulo preso durante a ditadura, desaparecido há 40 anos

O projeto “Direito à Memória e à Verdade – A ditadura no Brasil 1964-1985”, leva à Câmara dos Deputados, em Brasília, a exposição “Não tens epitáfio, pois és bandeira”, uma homenagem ao ex-deputado Rubens Paiva, que foi preso durante a ditadura militar e desapareceu há quase 40 anos, em 20 de abril de 1971.

A iniciativa da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República é a de resgatar a trajetória de Paiva, que foi deputado federal pelo PTB de São Paulo e teve o mandato cassado logo após o golpe militar de 31 de março de 1964, com registros de sua vida familiar e profissional, assim como da luta do ex-deputado pela redemocratização do Brasil. Um passado marcado pela violência e por violações de direitos humanos.

O projeto, do qual faz parte a exposição, teve início em 2006 com a abertura da mostra fotográfica “Direito à Memória e à Verdade - A ditadura no Brasil 1964 - 1985”.

Serviço:
“Não tens epitáfio, pois és bandeira”
Visitação: 16 a 26 de fevereiro
Horário: das 9 às 18 horas, no Hall da Taquigrafia, anexo II da Câmara dos Deputados
Praça dos Três Poderes – Brasília/DF