Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Masp está bem nas mãos de Beatriz Pimenta Camargo

Cultura

Edgard Catoira

Masp está bem nas mãos de Beatriz Pimenta Camargo

por Edgard Catoira — publicado 01/03/2013 13h20, última modificação 01/03/2013 13h30
A empresária e colecionadora é a primeira mulher a presidir o Museu de Arte de São Paulo

Se há uma coisa que me deixa feliz é ver uma boa dona de casa administrando o seu lar. Sabe onde está o par de meias que o filho precisa, a colherinha de prata que foi da velha tia avó. E quais as roupas que estão sendo lavadas, a comida que vai para a mesa na próxima refeição. Nada, dentro de casa, foge a seu conhecimento ou a seus cuidados pessoais.

Por isso mesmo, vejo com grande alegria o Museu de Arte de São Paulo (Masp) passar a ser dirigido por Beatriz Mendes Gonçalves Pimenta Camargo, eleita presidente dessa entidade, que tem o acervo artístico mais importante da América do Sul.

O Masp tem mais de oito mil peças, entre as quais trabalhos importantíssimos da arte da França e da Itália, a partir do século XIII. Nos cinco pavimentos do monumental prédio da Avenida Paulista – que chama a atenção por seu formidável vão livre, pelo qual se avista a cidade – pode-se deliciar com Rafael, Botticceli, Renoir, Cèzanne, Picasso, Van Gogh, Mattise, Chagall, ou os brasileiros Portinari, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e Almeida Júnior.

As esculturas do MASP também representam uma viagem pelo tempo, a começar com uma peça de mármore grega, a Hegeia, de IV A.C.. O resto é uma festa, com Degas, Rodin e Victor Becheret.

Todo esse acervo leva o Masp a fazer parte do “Clube dos 19”, ao lado dos mais importantes museus de arte da Europa e América do Norte.

Minha alegria

Agora, vejo Beatriz assumir essa casa. A empresária tem uma coleção pessoal de arte brasileira que é conhecida e respeitada no mundo todo. Cada peça tem seu local valorizado e, sob seu olhar feminino, todos os cuidados específicos e necessários a preservar cada uma.

Assim, pela primeira vez em sua história, o MASP terá uma verdadeira ‘dona de casa’ cuidando dele. Beatriz mesmo diz que “ter” é fácil, “manter” é que é difícil. E, a partir de agora, ela, como profunda conhecedora de arte, pretende também ampliar o acervo do museu.

Assim, pela primeira vez presidido por uma mulher – e que mulher! – o MASP será conduzido por Beatriz Pimenta Camargo até 2015, quando o museu completará 68 anos.

Estou pessoalmente orgulhoso e seguro de que o MASP estará mais completo e valorizado nestes próximos dois anos. A Cultura de São Paulo merece este cuidado especial!

Outras colunas de Edgard Catoira: