Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Luz sobre obra de quatro séculos

Cultura

Restauração

Luz sobre obra de quatro séculos

por Celso Dobes Bacarji — publicado 10/09/2010 01h00, última modificação 10/09/2010 17h04
À espera da Copa do Mundo de 2014, Recife resgata tesouro histórico

À espera da Copa do Mundo de 2014, Recife resgata tesouro histórico

Recife revitaliza seu patrimônio histórico. São resgatados simultaneamente o Convento de  Santo Antônio, sua Capela Dourada e o Forte das Cinco Pontas, do séculoXVII, a Igreja de Nossa Senhora do Pilar, edificada no século XVII e reformada no século XIX, e a Basílica da Penha, majestoso prédio neoclássico de 1882. “Os turistas que virão para a Copa do Mundo, em 2014, querem ver futebol, praias e monumentos. As cidades-sede precisam se aprontar”, defende Jorge Tinoco, professor de pós-graduação do Centro de Estudos Avançados de Conservação Integrada (Ceci) da Universidade Federal de Pernambuco e atuante em duas obras. Em todo o estado, ao menos oito municípios deverão receber até 13 milhões de reais dos 890 milhões destinados a 154 localidades dentro do PAC das Cidades Históricas, diz o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no estado, Frederico Almeida.

O Convento de Santo Antônio e a Capela Dourada, no Recife, pertencem a um conjunto barroco-rococó. Entre os altares, talhas, arcos, artefatos dourados e móveis em jacarandá, destacam-se os azulejos produzidos, em 1634, por uma técnica característica em Roterdã, explica Pérside Omena. Ela é responsável pela restauração de mais de 29 mil peças em 15 ambientes nos dois prédios franciscanos. Sua missão começou pelo claustro, onde os azulejos danificados formam 25 painéis a retratar a Criação do Mundo. Também trabalha os azulejos da capela. Dez painéis exibem cenas de caça e desenhos geométricos similares à tapeçaria.

*Confira este conteúdo na íntegra da edição 613, já nas bancas.