Você está aqui: Página Inicial / Cultura / EUA: atores democratas flertam com a política

Cultura

EUA: atores democratas flertam com a política

por Fernando Vives — publicado 15/08/2011 11h39, última modificação 06/06/2015 18h57
Michael Moore que ver Matt Damon candidato a presidente contra Barack Obama; Alec Baldwin sonha em ser prefeito de Nova York um dia; veja quais são os atores que já se envolveram com a política
EUA: atores democratas flertam com a política

Alec Baldwin faz sucesso com o seriado "30 Rock", um deboche aos costumes dos adeptos do Tea Party

Em uma cena divertida do filme De volta para o futuro, o personagem Marty McFly (Michael J. Fox) viaja até 1950 e, ao encontrar seu amigo Doctor Brown (Christopher Lloyd), tenta convencê-lo de que acaba de chegar de 1985. Ao ouvir sobre todas as coisas que haviam mudado nos Estados Unidos nos 35 anos que os separavam, Doctor Brown faz o seguinte comentário: “Agora só falta você me dizer que Ronald Reagan, aquele ator de filmes de cowboy, vai ser o presidente dos Estados Unidos”. No que ouve como resposta algo como “Pois é, Doutor, temos muito o que conversar...”.

A piadinha do filme dirigido por Robert Zemeckis mostra uma característica que ganhou evidência com a eleição de Ronald Reagan para a presidência do país: a dos atores que viram políticos. E se até a década passada este -- com o perdão do trocadilho -- personagem da política norte-americana era uma característica quase exclusiva do Partido Republicano, os democratas começam a usar da mesma tática visando os próximos pleitos do país. Ao menos dois deles são cotados para fazer barulho nas próximas eleições: Matt Damon e Alec Baldwin.

Gênio indomável
Na semana passada, o documentarista Michael Moore, democrata ferrenho, defendeu a candidatura do ator Matt Damon nas prévias do partido contra o presidente Barack Obama, que será candidato à reeleição em 2012. O ator ficou de pensar.

“Se você quiser vencer (uma eleição americana), os republicanos certamente já mostraram o jeito: se você concorre com um candidato popular, você vence”, disse Moore ao site firedoglake.com. ”Eu sugeri o nome dele (Matt Damon) porque gostaria de nos ver (os democratas) pensando assim”, disse.

Damon, que faz parte do grupo de atores de primeiro nível de Hollywood, foi revelado no filme Gênio Indomável de 1997. Logo passou ao pequeno grupo de atores de ponta dos grandes estúdios, com o diferencial de que quase sempre acerta a mão ao escolher um filme para participar.

Em 2010, aos 40 anos Matt Damon se envolveu em um documentário que causou frissom nos Estados Unidos: Inside Job - A verdade sobre a crise. Ele é o narrador do filme, que conta sobre como a desregulação do mercado financeiro permitiu o aumento da corrupção, o que culminou na crise imobiliária de 2008. O filme ganhou o prêmio Oscar de melhor documentário.

Inside Job - A verdade contra a crise e algumas entrevistas tornaram Damon, que fez campanha por Barack Obama em 2008, reconhecido como um forte crítico à esquerda do presidente - sempre lembrando que a definição de esquerda nos Estados Unidos nunca foi tão de esquerda assim.

Deboches ao Tea Party

Outro ator carismático entre os democratas que se desponta como possível político no futuro é Alec Baldwin. Aos 53 anos, ele fez vários papéis secundários em filmes importantes de Hollywood, mas caiu no gosto popular - ao menos nas cidades grandes americanas - mesmo com o seriado 30 Rock, no qual vive um militante do Tea Party, a ala mais à direita do Partido Republicano. É engajadíssimo pelo Partido Democrata.

Os republicanos têm dominado a eleição municipal de Nova York. Venceram as últimas cinco eleições em um reduto que tradicionalmente dá menos importância aos discursos conservadores que nas regiões rurais do país. No entanto, os democratas sofrem uma lacuna de nomes fortes para fazer oposição ao prefeito Michael Bloomberg, que deixa seu cargo em 2013.

O maior nome dos democratas para a cidade era o deputado Anthony Weiner, cotado para candidato à prefeitura. No entanto, uma desastrada iniciativa sexual de sua parte via Twitter colocou por terra não só sua possível candidatura, como também seu renome como congressista norte-americano. Weiner postou por acidente uma foto sua de cuecas no Twitter. A ideia dele era mandar a foto somente para uma mulher, mas acabou indo para todos os seus seguidores. Em um primeiro momento, ele argumentou que foi hackeado. Depois assumiu que mentiu por conta do tamanho do constrangimento que seu erro lhe causou.

Após o escândalo, Alec Baldwin, que nasceu no estado de Nova York e manteve residência em Manhattan por vários anos, já declarou que pensa em fazer um curso de especialização política e, um dia, provavelmente tentar ser prefeito novaiorquino. Mas, segundo ele próprio, sua agenda estará lotada com o 30 Rock até 2013. Ficaria para a eleição seguinte.

registrado em: