Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Desolador e maduro

Cultura

Cinema

Desolador e maduro

por Orlando Margarido — publicado 22/01/2011 12h54
Em suas palavras, "Biutiful", de Alejandro González Iñárritu, é um filme de esperança. Pode parecer difícil encaixar a ideia nesse retrato desolador, mas o filme compensa a tentativa

Ao final da sessão de Biutiful no Festival de Cannes do ano passado, uma questão recorrente dizia respeito a este primeiro filme de Alejandro González Iñárritu sem o seu parceiro habitual de roteiro, Guillermo Arriaga. Juntos, realizaram três fortes dramas, Amores Brutos, 21 Gramas e Babel, todos no formato do filme coral, ou seja, com vários personagens e histórias entrelaçadas. Biutiful, em cartaz a partir de sexta-feira 21, elege um protagonista com a vida em frangalhos, em ótima interpretação de Javier Bardem, para dar conta também de uma massa de excluídos sociais que procuram sobreviver em Barcelona.

Antes do que compará-lo aos demais, vale apontar no novo filme uma maturidade no caminho do cineasta mexicano que lhe dá mais valor pela diferença do que pela continuidade. Foi um risco e nem todos o aceitaram na vitrine francesa do cinema. Apenas Bardem foi lembrado pelo júri oficial com o prêmio de melhor interpretação masculina, ainda assim dividida com o italiano Elio Germano, de La Nostra Vita. Ambos interpretam pais na luta em favor de suas famílias. O de Bardem, Uxbal, é um sensitivo que possibilita aos parentes de mortos recentes uma última comunicação
com eles. Mas ele mesmo está morrendo, vítima de um câncer.

Precisa garantir a criação dos filhos, que não contam com a mãe, uma drogada de quem Uxbal se separou. Um universo duro e sombrio complementado por um exterior não menos asfixiante, de imigrantes chineses que atuam numa rede de falsificação. Essa amostragem perturbadora será vista em paralelo a outra, também vinculada à imigração, desta vez com uma luz mais humanista. É a mulher do amigo de Uxbal que lhe dará a solidariedade final, e com ela Iñárritu constrói outro personagem sólido.

Em suas palavras, é um filme de esperança. Pode parecer difícil encaixar a ideia nesse retrato desolador, mas o filme compensa a tentativa.