Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Davos premia Vik Muniz e Charlize Theron por trabalho social

Cultura

Fórum Econômico Mundial

Davos premia Vik Muniz e Charlize Theron por trabalho social

por AFP — publicado 23/01/2013 10h01, última modificação 23/01/2013 10h01
Para os organizadores, os premiados usam seu trabalho e seus nomes para dar a palavra aos que não têm voz em seus respectivos países e, assim, tentar mudar as coisas

DAVOS, Suíça (AFP) - O encontro anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, teve início na terça-feira 22 com a entrega dos prêmios Cristal para a atriz sul-africana Charlize Theron, o artista plástico brasileiro Vik Muniz e a cineasta paquistanesa Sharmeen Obaid Chinoy, por seus respectivos trabalhos sociais.

Os três premiados usam seu trabalho e seus nomes para dar a palavra aos que não têm voz em seus respectivos países e tentar mudar as coisas, lembraram os organizadores.

"Temos que ter uma visão se quisermos ser líderes", disse o fundador do fórum, o professor Klaus Schwab na abertura desta 43ª edição do evento anual reunindo os principais nomes da economia e da política na estação de inverno suíça, que terminará no domingo.

A atriz sul-africana, visivelmente emocionada com o prêmio, promove um projeto para erradicar a Aids entre os jovens no continente africano, o mais atingido pela pandemia.

"Não é tarde demais para mudar o futuro", lembrou a protagonista do filme Monster - Desejo Assassino (2003), que valeu a ela um Oscar de melhor atriz.

O mesmo sentimento move o artista plástico brasileiro. "Como pessoa, muitas vezes me disseram que não podia viver das ideias ou da criatividade e, como artista, me disseram que as ideias artísticas não levam a mudanças sociais", lembrou Vik Muniz com sarcasmo diante da plateia, que tinha entre outros os príncipes herdeiros da Bélgica.

O artista brasileiro Vicente José de Oliveira Muniz, é o autor de um projeto artístico, mostrado no documentário Lixo extraordinário, realizado durante três anos com catadores de lixo do lixão de Jardim Gramacho.

Com o lixo recolhido, os catadores prepararam instalações artísticas, mudando o conceito que tinham de si mesmos e, consequentemente, suas vidas.

Já a documentarista paquistanesa Sharmeen Obaid Chinoy considera que o cinema dá a oportunidade para que as pessoas tenham as duas vozes ouvidas.

De acordo com um relatório da organização não-governamental Oxfam publicado em ocasião do Fórum, os rendimentos líquidos das 100 pessoas mais ricas do planeta chegavam em 2012 a 240 bilhões de dólares, o que bastaria para erradicar quatro vezes a extrema pobreza.

Com o lema "O custo da desigualdade: como a riqueza e os ganhos extremos prejudicam a todos nós", a organização exorta os líderes mundiais a limitarem os seus ganhos e se comprometerem a reduzir as desigualdades ao nível de 1990.

registrado em: