Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Bravo! / Douglas Germano, candente, enxuto e direto

Cultura

CD

Douglas Germano, candente, enxuto e direto

por Tárik de Souza — publicado 04/10/2016 04h57
O violonista e cavaquinista lança CD que nada tem de ortodoxo
Reprodução
Golpe de Vista

"Meu samba não é lamento, é muito mais de atormentar"

A estreia em disco foi quase anônima, sob o apelido familiar, Cuca, numa parceria com outro apelidado, Carica, Vida Alheia, gravada pelo grupo carioca Fundo de Quintal, no álbum É aí Que Quebra a Rocha, em 1991.

Batuqueiro, formado na escola de samba Nenê de Vila Matilde, violonista e cavaquinista, o paulistano Douglas Germano descende de percussionista, mas sua caligrafia nada tem de ortodoxa. Cevado em longas temporadas no bar Ó do Borogodó, em Vila Madalena, com o bando Afromacarrônico, Douglas já lançou dois discos.

Ori (apenas em edição virtual), indicado ao Prêmio da Música Brasileira, como melhor cantor, em 2011, e outro, do Duo Moviola, dividido com o compositor, guitarrista e violonista iconoclasta Kiko Dinucci.

O CD Golpe de Vista vale como sumário de seu estilo candente, enxuto e direto. “Eu, meu violão, meu cavaquinho e minha caixa de fósforos.

Como em um filme, um livro, uma peça de teatro, as canções começam e terminam, sem estribilhos e repetições. Ver, ler e ouvir novamente fica sob a responsabilidade do ouvinte”, decreta no texto de apresentação.

E vale a reprise de temas como a metafórica peleja de Zeirô, Zeirô (Vila do Calvário, campo do Cruzeiro/ foi tanta gente lá pra ver Jesus/ só joga na bola/ nunca viu cartão), a crônica policial feminista de Maria de Vila Matilde (gravada por Elza Soares em seu recente A Mulher do Fim do Mundo) e o desiludido Cansaço (cansei/ de ver o melhor perder/ de ver o fraco morrer/ de fingir liberdade), envolto em golfadas de violão e caixa de fósforos.

Trafegando do acalanto caymmiano Canção pra Ninar Oxum aos ecos de João Bosco, em Guia Cruzada, e a citação do violão desidratado de Nelson Cavaquinho (You S/A), o enciclopédico Douglas encesta seu Golpe de Vista: Meu samba não é de lamento/ é muito mais de atormentar

Golpe de Vista. Douglas Germano. Independente  

registrado em: , , ,