Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Bravo! / O epitáfio de Prince

Cultura

CD

O epitáfio de Prince

por Tárik de Souza — publicado 18/07/2016 11h04, última modificação 18/07/2016 11h05
Em Hitnrun, o cantor mostrou ter um amplo domínio dos idiomas sonoros
Divulgação
Prince

Prince ainda domina um amplo espectro de idiomas sonoros

O Fentanil, um opiáceo sintético prescrito para determinados tipos de cânceres, segundo os legistas, matou, em abril passado, o cantor e compositor americano Prince. Foi abatido por uma overdose acidental dessa substância, 40 vezes mais potente que a heroína, em alta no cardápio dos traficantes dos cartéis mexicanos.

Foi um epitáfio relativamente convencional – quantos ídolos pop sucumbiram de forma semelhante? – numa carreira de cumes e abismos, raramente trilhada por músico tão talentoso. Filho de um casal de jazzistas, Prince Rogers Nelson despontou para o sucesso aos 20 anos, em 1978, no álbum For You, em que tocava todos os instrumentos.

Enfrentou a fase áurea do rival direto Michael Jackson com discos antológicos, como Dirty Mind, 1999, Purple Rain, Sign o’the Times, e petardos do porte de Little Red Corvette, When Doves Cry, Raspberry Beret, Kiss, Delirious, além de Nothing Compares 2 U, que projetou Sinead O’Connor.

Rompeu com a indústria musical, trocou o próprio nome por um símbolo impronunciável, gravou copiosamente e, após tantas turbulências, seu último disco desembarca aqui apenas em sua segunda parte.

Suficiente, no entanto, para atestá-lo ainda em ótima forma, num trânsito intenso entre o funk e o rhythm’n’ blues, na convulsiva Baltimore, crivada de coros e falsetes. Ou na aliciante Groove Potential (outra longa noite ou outro mistério/ diga-me o que vai ser?), acamada por sopros e ecos, e a melíflua Xtraloveable, calcada em bongôs, desaguando no jazz.

Da balada soul lânguida (When She Comes) ao ritmo seccionado por arranjo de camadas sobrepostas (Stare), Prince domina um amplo espectro de idiomas sonoros. Incluído o básico de Rock’n’roll Affair, estilo que os brancos, desde Elvis Presley, surrupiaram aos artistas negros.

Hitnrun. Prince. NPG Records/Universal

registrado em: , , ,