Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Avenida Brasil

Cultura

Avenida Brasil

por Alberto Villas publicado 03/10/2013 08h34
Você já percebeu que no noticiário brasileiro tem sempre uma novela no ar? Por Alberto Villas
Avenida Brasil

Novela é assim mesmo. Fala-se muito enquanto está no ar. Depois o tempo vai passando e vamos nos esquecendo. Tipo aquela novela da Luiza que foi pro Canadá

Não vou muito longe não, não vou buscar lá na minha infância os jornais que só falavam em Getúlio Vargas. Última Hora, Jornal do Brasil, O Jornal. Era o assunto do momento de todos eles, como assunto do momento um dia já foi uma Roberta Close, por exemplo. Quem não se lembra? Só se falava nela. Close! Até Erasmo Carlos fez uma música pra ela. Como um dia só se falou em Tiazinha, quem não se lembra? Com aquele modelito preto, máscara e chicote na mão. E a Feiticeira? Ah... a feiticeira.

Vira e mexe um assunto entra na moda, vira novela e não se fala em outra coisa neste país . No quesito bandidagem, nunca me esqueço do Manoel Moreira, o Cara de Cavalo, bandido carioca da Favela do Esqueleto que vendia maconha na Central do Brasil. Foi executado pela polícia com 52 tiros e acabou virando herói nas mãos de Hélio Oiticica. A história de Cara de Cavalo foi uma grande novela.

Tiveram outros: Chico Picadinho, o Bandido da Luz Vermelha e mais recentemente o Fernandinho Beira-Mar, o Nem, o Elias Maluco. Isso no quesito bandidagem de xadrez.

Quem não se lembra da novela Paes de Andrade, aquele presidente por um dia que levou pra sua Mombaça um famoso trem bala da alegria? E a novela do congelamento dos preços? E a do confisco da poupança? E a novela do PC Farias? Como durou! Tipo Vale-Tudo. Ou quem sabe, Irmãos Coragem? Uma novela que deu muito Ibope foi a da Mônica Veloso, ex-amante de Renan Calheiros, aquela jornalista que acabou na capa da Playboy. Tipo novela das onze.

No Brasil é assim. De repente, um assunto explode e fica no noticiário até que ninguém aguenta mais falar no assunto. Lembra do Tchan? Do tal do “segura o tchan, amarra o tchan?” Ninguém falava em outra coisa neste país senão nas Sheilas, uma morena e a outra loura. E o Tiririca com sua Florentina? Que novela! E aquela do Severino que um dia chegou à presidência da Câmara? Novelão! E aquela novela chamada Meu nome é Enéas!, lembra? E Susan Boyle?

Novelas no noticiário sempre existiram mas se você pegar os jornais desse 2013, vai encontrar ali muitas, uma atrás da outra. A novela do Mensalão, a novela do Feliciano, a novela da Rose, a novela do #vemprarua, a novela dos estádios que não iam ficar prontos pra Copa, a namorada da Daniela Mercury, a novela dos médicos cubanos, do casamento gay, a novela Fora do Eixo, a da mídia Ninja, do Cachoeira e a triste novela do Amarildo.

Novela é assim mesmo. Fala-se muito enquanto está no ar. Depois o tempo vai passando e vamos nos esquecendo. Tipo aquela novela da Luiza que foi pro Canadá. Inesquecível mesmo só Avenida Brasil.

registrado em: ,