Você está aqui: Página Inicial / Blogs / SPeriferia / Haddad recebe movimento de juventude

Política

Papo reto

Haddad recebe movimento de juventude

por Joseh Silva — publicado 13/09/2013 16h05, última modificação 13/09/2013 17h19
Prefeito ouviu mais (e falou pouco) sobre as demandas apontadas pelos jovens que participaram de um encontro nesta quinta-feira
Prefeito ouve demandas da juventude

Prefeito ouve demandas da juventude [foto: Joseh Silva]

Nesta quinta-feira 12, lideranças do movimento de juventude, coletivos e jovens, tiveram a reunião com o prefeito Fernando Haddad (PT) na sede da prefeitura, região central da cidade. O encontro foi organizado pela Coordenadoria da Juventude e tinha o objetivo que a sociedade civil pautasse a prefeitura com as demandas de juventude. O encontro iniciou por volta das 19h e foi até às 21h. Haddad ficou 1h30 escutando às demandas e teve 30 minutos para fazer suas considerações.

Capão redondo, Pirituba, Grajau, Jardim São Luís, Campo Limpo, Monte Azul, São Matheus, Itaquera, Jardim Ângela. A periferia tomou a plenária. Uma juventude com consciência política, com práticas culturais importantes, lideranças que representam suas comunidades. São jovens que sabem o que querem, o que estão pontuando e, em alguns casos, dando literalmente, perspectivas de caminhos, com hip hop, funk, teatro, artes visuais, comunicação, movimento de moradia, da economia, do feminismo e movimento negro.

Foram diversas as pautas defendidas pelos movimentos: descriminalização do funk, valorização da cultura Hip Hop, direitos e fomento a comunicação, operação delegada, extermínio da juventude pobre e negra, emancipação dos jovens, universidade municipal, posicionamento formal sobre questão da maioridade, virada cultural, estrutura para os cursinhos populares, política de juventude para mulheres, creche e economia solidária.

O prefeito não se aprofundou em nenhuma pauta que a juventude levantou, mas falou bastante sobre o plano diretor municipal. Defendeu que o plano é o que há de "mais sofisticado: “O plano combina o que tem mais de avançado na universidade e no movimento de moradia. É uma transformação que a cidade vai viver muito significativa”.

Sobre as demandas dos movimentos, o prefeito comentou sobre o genocídio da juventude pobre e negra: “A questão da violência... Preocupa muito a gente [governo]. Nós começamos o processo de desmilitarização, através das subprefeituras. Nomeamos servidores de carreira para que a interlocução com as comunidades seja mais fluída, natural. Acho que teve passos importantes, mas o avanço não aconteceu em todas subprefeituras”

Ainda sobre as subprefeituras, Haddad afirmou que até dezembro haverá mudanças: “Nós estamos começando a proceder algumas substituições de subprefeitos, não necessariamente por desempenho, mas por falta de vocação na interação com a comunidade. Haverá novas substituições até o final do ano”.

O prefeito se comprometeu a se encontrar outras vezes com a juventude, de acordo com o avanço e o amadurecimento dos debates e que deseja construir um plano municipal de juventude. Por fim, avaliou: “Isso aqui (o encontro) é uma espécie de conselho de juventude, tem cara”.