Você está aqui: Página Inicial / Blogs / SPeriferia / Cooperifa faz chuva de livros

Política

Cooperifa faz chuva de livros

por Joseh Silva — publicado 13/08/2013 10h44

Há diversas formas de incentivar uma pessoa a ler um livro. Mas, quando se trata de algo que por muito foi elitizado e, por consequência, tirado da periferia, todas as tentativas e formas são de extrema importância, uma vez que o livro cumpre funções fundamentais na formação do sujeito: ampliação da narrativa a partir de histórias, causos, contos, crônicas, romances, poesia, prosa etc.

A Cooperifa há dez anos vem, por meio do Sarau, que acontece todas as quartas-feiras, executar ações ligadas ao incentivo a leitura. A aproximação da periferia com o que lhe foi tirado há anos, o contato com o livro, com a leitura, com a ampliação do olhar, pois como diz Sergio Vaz, agitador cultural e um dos fundadores da Cooperifa, “quem lê enxerga melhor”, é mais que uma possibilidade de transformação social; é o empoderamento do indivíduo.

A próxima ação deles será a chuva de livros, que acontece há seis anos. Qualquer pessoa que comparecer no sarau, nesta quarta-feira 14, receberá uma obra de graça.

No total serão distribuídos 800 livros, entre romance, conto, poesia, prosa, que vão desde Drummond a Jorge Amado, passando por clássicos, infantis, juvenil etc. O nome da ação não é executado no sentido literal. Os livros são entregue carinhosamente de mão em mão. Depois disso a obrigação de cada um é somente ler.

O sarau iniciará às 20h30. Fica no Bar do Zé Batidão na rua Bartolomeu dos Santos, 797, Jardim Guarujá, zona sul de São Paulo.