Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Parlatório / Prejuízo de contratos de Delcídio com termoelétricas se anunciavam em 2004

Política

Operação Lava Jato

Prejuízo de contratos de Delcídio com termoelétricas se anunciavam em 2004

por Redação — publicado 10/12/2015 20h31
Em reportagem publicada por CartaCapital naquele ano, a Petrobras tentava desde então renegociar termos para evitar prejuízos
Geraldo Magela/ Agência Senado (18/08/2015)
Delcídio Amaral

Senador Delcídio Amaral foi acusado de obstruir investigações da Operação Lava Jato

Conteúdo
Usinas de Dinheiro | Reportagem

Contratos assinados por Delcídio do Amaral (PT-MS) quando era diretor da Petrobras deixaram à estatal um prejuízo de 5 bilhões de reais, segundo informações publicados na quinta-feira, 10. Delcídio foi preso em novembro em meio às investigações da Operação Lava Jato, e está citado como receptor de propinas nas delações premiadas de Nestor Cerveró e Paulo Roberto Costa. 

Em 2004, uma reportagem publicada em CartaCapital já relatava as tentativas da Petrobras de renegociar contratos com termoelétricas para evitar um prejuízo que se estimava poder chegar a 6 bilhões de reais.

Na queda de braço entre o senador que havia negociado os contratos e Ildo Saer, diretor de gás da companhia, venceu o primeiro, sobrando a Ildo o destino de ser demitido pela então ministra de Minas e Energia Dilma Rousseff. texto é assinado pelo redator-chefe Sergio Lirio. Leia a seguir: