Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Outras Palavras / Outras Palavras são Outros Quinhentos

Cultura

Outras Palavras são Outros Quinhentos

por Redação de Outras Palavras — publicado 30/10/2013 18h03, última modificação 31/10/2013 16h11
Site parceiro de "CartaCapital" lança campanha de sustentação financeira com participação dos leitores. Conheça projeto e nossa visão sobre resgate do jornalismo. Veja como contribuir
Mariopost.jpg

É possível combinar participação e profundidade; resgatar o jornalismo, na era do declínio dos jornais; descrever a insensatez da ordem capitalista a partir dos fatos – sem apelar para panfleto e narcisismo.

[Este é o blog do site Outras Palavras em CartaCapital. Aqui você vê o site completo]

Publicações não-convencionais precisam criar os meios de sua própria existência. Três anos e meio depois de seu lançamento, Outras Palavras consolidou-se editorialmente. Atingiu um número expressivo e crescente de leitores: nos últimos meses, o número de textos lidos, a cada dia, passou de 10 mil para 15 mil. Mostra que é possível combinar participação e profundidade; resgatar o jornalismo, na era do declínio dos jornais; descrever a insensatez da ordem capitalista a partir dos fatos – sem apelar para panfleto e narcisismo.

Mas o mundo e o país mudaram. Os novos cenários exigem multiplicar a capacidade de análise da realidade e, em especial, de formulação de alternativas. Queremos contribuir com esse esforço e ampliar permanentemente nosso projeto editorial e de formação – com novos passos importantes, já em 2014. Nossa situação financeira ainda não o permite.

Como saída, estamos criando Outros Quinhentos, uma iniciativa de sustentação financeira compartilhada que envolve participação em nosso projeto e relações sociais pós-capitalistas.

Outras Palavras tem compromisso com a gratuidade das informações que produz e a livre reprodução de conteúdos por outros sites. Para manter e ampliar o projeto sem recorrer a catracas,precisamos do apoio financeiro ativo – ainda que módico – de muitos. Como retribuição simbólica, ofereceremos produtos e serviços aos participantes deOutros Quinhentos. Veja quais suas bases, de que modo funciona, como somar-se a ela.

COMO SE SUSTENTA OUTRAS PALAVRAS?

Há três anos, Outras Palavras funciona, essencialmente, graças ao entusiasmo de uma rede de pessoas comprometidas com a construção de uma nova sociedade e uma nova comunicação. Os mais de duzentos colaboradores eventuais não são remunerados – assim como o núcleo de tradutores e a equipe envolvida no projeto experimental Pautas Abertas.

Os três sites – Outras PalavrasBlog da RedaçãoOutras Mídias – contam, é claro, com uma redação permanente. Além de produzir textos, ela encarrega-se de acompanhar a conjuntura nacional e internacional; localizar temas importante; identificar novos colaboradores que possam contribuir para torná-los conhecidos e debatê-los; coordenar as traduções; editar o material recebido; manter e aperfeiçoar o padrão gráfico; cuidar do desenvolvimento tecnológico.

Mas também esta redação permanente não dispõe, até agora, de uma fonte estável de remuneração. Enxergamos a internet como um território que deve permanecer desmercantilizado e gratuito, onde o conhecimento humano é acessado, produzido e compartilhado por todos, independentemente de condição financeira. A publicidade para iniciativas como a nossa é escassa: o preconceito dos anunciantes e agências torna-os cegos ao nosso público – e nem todo tipo de publicidade seria desejável. O Estado brasileiro, que oferece bilhões de reais, a cada ano, ao oligopólio da velha mídia, hoje sob responsabilidade do ministro Paulo Bernardo, não criou formas duradouras de estimular a comunicação em rede. Iniciativas como os Pontos de Cultura e Pontos de Mídia Livre foram abandonadas após o fim do governo Lula.

Nas condições atuais, que pretendemos melhorar, produzir Outras Palavras custa aproximadamente R$ 20 mil por mês – entre salários da redação permanente, hospedagem e manutenção do site, equipamentos, aluguel de espaço físico, transporte, despesas fiscais e contábeis. Entre janeiro e setembro de 2013, mais de 70% destes recursos foram gerados por serviços prestados a terceiros. Trocando em miúdos: a equipe mantém os sites dividindo-se entre eles e free-lances eventuais – o que resulta numa pesada dispersão de esforços.

POR QUE RECURSOS DOS LEITORES?

Nossa estratégia de sustentação atual permite manter o projeto, mas impede a concretização de planos inovadores. Daí nossa aposta em Outros Quinhentos.

Imaginamos levantar mensalmente, junto aos leitores, os R$ 20 mil necessários ao nosso trabalho, de modo a liberar a equipe para dedicar-se exclusivamente ao site e desencadear projetos que acalentamos. Receitas adicionais, como veiculação eventual de publicidade, serão empregadas para acelerar os novos planos. Haverá ampla transparência. Os leitores acompanharão, passo a passo, o desenvolvimento do programa e seus resultados e a aplicação dos recursos.

Acreditamos que a meta é realista, mas precisamos contar com a generosidade dos leitores. Mais de dez mil pessoas entram em média, a cada dia, em nossos sites. Temos 22 mil “assinantes” (a remessa é gratuita) em nosso boletim de atualização (assine aqui) e mais de 44 mil seguidores, em nossa página do Facebook (siga). Se mil pessoas contribuírem com R$ 25 mensais (menos da metade da assinatura de um jornal diário tradicional) -; ou duas mil, com R$ 10 mensais, o objetivo será alcançado. Inteiramente concentrada em Outras Palavras, a redação manterá os três sites atuais com qualidade e dará outros passos.

QUE VAMOS FAZER COM OS RECURSOS?

Vivemos um momento raro. A possibilidade de construir um mundo novo entrelaçou-se com a esperança numa outra comunicação – e, no entanto, nenhum destes dois projetos está assegurado. Nas duas últimas décadas, emergiu uma vasta crítica às lógicas capitalistas – talvez mais difundida, entre as sociedades, que em qualquer período anterior, nos últimos 500 anos. O desconforto e a busca de alternativas são possíveis porque surgiram novas narrativas, visões de mundo, possibilidades para comunicá-las. Os velhos consensos, fabricados em cada país por um punhado de corporações que controlavam os jornais e a TV, estão em xeque.

Mas esta janela de oportunidade permanecerá aberta? A resposta ainda não está clara. A velha mídia, em declínio, é cada vez mais incapaz de debater os grandes temas, ou mesmo de informar adequadamente sobre eles. No Brasil, perdeu-se em relações promíscuas com o poder econômico, numa cobertura cada vez mais rala da vida nacional, no abandono da reportagem e das velhas técnicas investigativas. Mas a “mídia da multidão” ocupará seu papel?

Em nossa opinião, precisa fazê-lo. Denunciar a decadência dos velhos jornais e TVs é indispensável, devido ao poder manipulatório que (ainda) exercem. As jornadas de junho, no Brasil, revelaram que uma parte importante da opinião está consciente das manipulações e da necessidade de enfrentá-las. Mas não é possível construir alternativas apenas com denúncias.

Diante da crise dos jornais, pensamos que é hora de resgatar – e reinventar – o jornalismo. Ele deve livrar-se de alguns elementos que o marcaram na fase industrial: imensas redações verticalizadas, hierarquias rígidas, variedade ultra-restrita de pontos de vista, tendência irrefreável à oligopolização, desperdício monumental de papel.

Mas a nova comunicação compartilhada deve também reivindicar as melhores heranças do jornalismo dos séculos passados. A ambição de compreender assuntos relevantes e complexos – e de relatá-los às sociedades enquanto é possível agir. A valentia de enfrentar o poder e “publicar aquilo que alguém quer ocultar”, como recomendava George Orwell. A noção de que, para transformar as sociedades, é preciso conhecê-las a fundo – ao invés de alimentar-se de simplificações.

Como resgatar o jornalismo, construindo profundidade não mais a partir de grandes redações, mas de uma rede articulada de colaboradores? Não há, certamente, respostas únicas. É uma construção que se estenderá provavelmente por décadas e exigirá experimentação, reflexão e elaboração prática e teórica intensas. Será necessário inovar permanentemente. Outras Palavras, que se dedica também a este esforço, tem alguns projetos a respeito – e quer colocá-los em prática em 2014.

NOSSOS PRÓXIMOS PROJETOS

> Uma rede de colaboradores cada vez mais vasta:
Outras Palavras aposta na possibilidade de produzir informações e análises de profundidade articulando redes não-mercantis de colaboradores. Um dos esforços centrais da redação é ampliar permanentemente um grupo de pessoas que – compartilhando certas visões de mundo e valores comuns – acompanha e escreve sobre um universo cada vez mais vasto de temas. Nosso leque é largo: Globalização e Alternativas, Movimentos Sociais, Cultura Urbana, Futuro da Internet, Segurança Alimentar, Política, Comportamento, Sociedade, Povos tradicionais, Economia, Meio Ambiente, Literatura, Cinema, Fotografia e tantos outros.

Para mobilizar a inteligência coletiva, buscamos criar formas inovadoras de colaboração. Em nossa revista (www.outraspalavras.net), publicamos em geral artigos e ensaios, produzidos por colaboradores que pesquisam ou atuam em múltiplas áreas e com diversos graus de experiência. No blog da redação (www.outraspalavras.net/blog), estamos abrindo espaço para estudantes e profissionais recém-formados, que recebem, da redação, orientações para relatar fatos recentes relevantes. É o projeto “Pautas Abertas”.

Foi lançado em junho. Está em fase experimental, mas já reúne quatro colaboradores, assegurou a produção de ótimos textos e está gerando o aprendizado e experiência necessários para entrar em nova fase, em 2014. Queremos ampliar o número de participantes do projeto, sugerir-lhes pautas várias vezes por semana e lançar, a partir do que produzirão,mais um produto editorial: uma coluna diária composta dez textos breves porém densos, sobre assuntos importantes, mas não tratados pela mídia tradicional.

> Quarta turma de Escola Livre de Comunicação Compartilhada.

Os participantes de “Pautas Abertas” terão uma contrapartida real. Poderão participar, gratuitamente, da Escola Livre de Comunicação Compartilhada de 2014. Com formações e seminários aos sábados, ela oferecerá aos participantes a possibilidade de debater em grupo os textos produzidos ao longo da semana; estabelecer diálogos com jornalistas convidados e, em especial, conhecer as técnicas desenvolvidas por Outras Palavraspara pesquisa e redação jornalísticas avançadas, com apoio em ferramentas e plataformas da internet.

A Escola Livre de Comunicação Compartilhada parte de uma experiência real. Seu projeto foi selecionado como Ponto de Cultura, em 2010. Três turmas foram formadas, com sucesso, entre 2010 e 2012. No primeiro ano, os participantes produziram o web-documentário Ipiranga895, sobre as ocupações de prédios em São Paulo. As duas turmas seguintes participaram ativamente da alimentação dos sites de Outras Palavras.

> Outros Livros ampliada. Outros Livros, a livraria virtual de Outras Palavras, distingue-se pelo foco temático e por seu conteúdo critico. As dezenas de títulos que oferece – em áreas como Antropologia, Comunicação, Cultura, Filosofia, Política e Sociologia – estão relacionadas ao exame de grandes problemas contemporâneos e à busca de alternativas.

Em 2014, Outros Livros ampliará seu leque de ofertas, com acervo aproximado de mil títulos. Irá incursionar pelos e-books. Oferecerá, também, um número crescente de produtos e serviços da economia solidária.

Outros Livros ampliada será, também, plataforma para circulaçãodos produtos e serviços – a ser oferecidos em retribuição aos membros de Outros Quinhentos – que o site receberá como contrapartida à veiculação de publicidade não-mercantil.

> Mais projetos

.. O esforço para construir jornalismo alternativo de profundidade é global. Em diversas partes do mundo, há publicações com características semelhantes a Outras Palavras. Já estabelecemos, com diversas delas, troca não-mercantil de conteúdos. Queremos ampliar este intercâmbio, constituindo uma rede internacional de publicações parceiras, baseada na livre circulação de informações e análises.

.. Esta rede terá uma dimensão tecnológica. Estamos desenvolvendo Mandala, uma plataforma de agregação de conteúdos que permitirá acompanhar, num único endereço web, os novos conteúdos postados em dezenas de sites, organizados por país e por assunto.

.. O mesmo empenho em compreender e reportar problemas nacionais e internacionais, a que Outras Palavras se lança, pode ter dimensão local. Também é decisivo conhecer em profundidade as cidades, seus impasses e alternativas. Queremos reunir condições financeiras para orientar grupos locais dispostos a produzir sites voltados para suas realidades.

.. Outras Palavras cogita constituir uma editora de livros eletrônicos. Ela publicaria tanto o material que já estampamos nos sites (reorganizado em edições temáticas ou por autor) quanto obras originais – em especial, grandes reportagens e ensaios. Tiraria proveito da revolução tecnológica que poderá, nos próximos anos, transformar o processo editorial, resultando em obras muito mais baratas e ambientalmente não-devastadoras.

.. Em momentos esporádicos, fizemos incursões no terreno do audiovisual. Em 2011, produzimos o webdoc Ipiranga 895, Em 2012, apoiamos a produção de breves documentários sobre o festival Preliminares. Queremos reunir condições para produzir regularmente em vídeo, com a mesma profundidade e inovação que perseguimos em nossos textos.

Os cinco últimos projetos não têm, ainda, prazos definidos. Nossa intenção é acelerá-los tanto quanto possível. O resgate do jornalismo tem múltiplas dimensões; é atraente e desafiador – mas requer bases sólidas. Para continuar oferecendo nossas contribuições, precisamos ter condições materiais de produzir e inovar. Queremos fazê-lo de modo participativo e em rede. Mantendo o site sempre aberto e gratuito, mas envolvendo diretamente os leitores em sua sustentação. Outros Quinhentos é nosso caminho para tanto.

QUE OFERECEMOS EM TROCA

Outros Quinhentos não é um programa de brindes. Seu objetivo é envolver os leitores deOutras Palavras em nossa realidade atual e na construção de nossos planos futuros. Mas, também aqui, acreditamos que há espaço para inovação. Pensamos que a formação de uma comunidade de apoiadores permitirá concretizar algo material: uma rede de trocas não-mercantis alimentada pelo espaço publicitário do site. Funciona em três passos.

1. Os integrantes de Outros Quinhentos formarão uma comunidade. Terão nome mencionado no site e receberão comunicação especial sobre o desenvolvimento, passo a passo, dos projetos gestados pelo site e sobre as formas de participar deles.

2. Participar de Outros Quinhentos permitirá obter, desde já, um benefício simbólico:descontos entre 10% a 30% nas compras em nossa livraria.Esta redução é cumulativacom outros abatimentos oferecidos por Outros Livros. As compras podem ser feitas uma vez por mês e não há limite nem de número de obras, nem de valores (conheça, em detalhes, o procedimento).

3. Outras Palavras abrirá um espaço publicitário não-mercantil, voltado a divulgação de produtos e serviços culturais e da economia solidária. Livros, CDs e DVDs de qualidade; cursos, viagens, pousadas, restaurantes, roteiros turísticos alternativos; livros, shows, fotos, filmes; a produção dos Pontos de Cultura; produtos da agricultura ecológica, extrativismo sustentável, artesanato cooperativo, empresas recuperadas pelos trabalhadores etc.

4. Por sua própria natureza, Outras Palavras pode aproximar de seu público potencial esses produtores, geralmente excluídos dos circuitos comerciais tradicionais. Nosso universo de leitores, além de numeroso (7 mil ao dia) é constituído de pessoas solidárias, criativas e abertas ao novo – além de muito bem formadas (86% com ensino superior completo, sendo destes 50% com pós-graduação).

5. Outras Palavras oferecerá suas páginas à divulgação destes produtos e serviços – em condições de partilha não-mercantil. Faremos propaganda em nossas páginas. Receberemos em produtos e serviços. Estas contrapartidas serão distribuídas – segundo critérios que estamos desenvolvendo – entre os membros de Outros Quinhentos, os colaboradores do site e os participantes de Pautas Abertas.

COMO PARTICIPAR

Toda contribuição é bem-vinda: ajudará Outras Palavras a atingir suas metas e realizar seus novos projetos. É possível contribuir com qualquer quantia, usando cartão de crédito, débito ou boleto, por meio do PagSeguro – um sistema confiável e prático.

Contudo, Outras Palavras quer estimular especialmente contribuições regulares – que podem garantir a perenidade de nosso esforço, livrar-nos da necessidade de assumirtrabalhos paralelos e criar condições para levar adiante novos projetos.

Pelo PagSeguro é possível programar contribuições mensais no cartão de crédito, com a mesma segurança dos pagamentos avulsos. Não é preciso repetir a doação a cada mês, e é possível interromper a adesão a qualquer momento, sem nenhuma dificuldade.

As contribuições avulsas são de qualquer valor. Mas para pagamentos regulares o PagSeguro requer quantias pré-estipuladas. Optamos por três valores:

> R$ 12 mensais (ou contribuição avulsa a partir de R$ 100, válida por um ano)
Com o equivalente a quatro edições diárias dos velhos jornais, você ajuda a manter um projeto que enxerga o mundo com olhos de quem quer transformá-lo – porém sem ceder ao panfleto jamais. Como contrapartida simbólica, oferecemos desconto de 10% em nossa livraria, válido para qualquer quantidade de livros, enquanto a contribuição se mantiver. Clique para contribuir

> R$ 25 mensais (ou contribuição avulsa a partir de R$ 250, válida por um ano)
Com ovalor de duas edições das revistas (des)informativas semanais, você contribui para a existência de uma publicação crítica, pós-capitalista e sem catracas. Como contrapartida simbólica, oferecemos desconto de 20% em nossa livraria, válido para qualquer quantidade de livros, enquanto a contribuição se mantiver. Clique para contribuir

> R$ 60 mensais (ou contribuição avulsa a partir de R$ 600, válida por um ano)
Esta modalidade custa 20% menos que a assinatura mensal dos jornalões. Porém, permite a Outras Palavras levar adiante novas iniciativas. Como contrapartida simbólica, oferecemos desconto de 30% em nossa livraria, válido para qualquer quantidade de livros, enquanto a contribuição se mantiver. Clique para contribuir

Outras Palavras são Outros Quinhentos. Depois de três anos e meio construindo comunicação alternativa de profundidade, trabalhamos para lançar um programa de sustentação também inovador. Ele mantém os sites sem catracas, convida os leitores a um envolvimento mais amplo com nosso projeto, abre diálogos e experimentos com aeconomia solidária e nos permite lançar novos planos, Seja bem-vind@, a casa é sua.