Sem categoria

Um grau acima

por Orlando Margarido — publicado 09/02/2013 15h24, última modificação 09/02/2013 15h24

Berlim – Caros, somente um breve comentario antes de partir para a sessao oficial do novo filme de Bruno Barreto, que antes tinha o titulo de Flores Raras e agora passa a se chamar Voce Nunca Disse Eu Te Amo. Em Berlim, o titulo internacional e Reaching for the Moon. Todos me parecem muito abstratos, mas vamos ao filme antes. A falta de acentos por aqui se da porque estou num teclado alemao! Vou desenvolver depois minhas opinioes dos tres filmes em competicao que vimos por aqui entre ontem e hoje. De manha, tivemos uma ligeira melhora do interesse e na qualidade, mais pelo russo do que pelo primeiro competidor alemao.
O russo se chama A Long and Happy Life e faz uma conexao imediata com o morno filme de Gus Van Sant de ontem, Promise Land, uma encomenda na verdade ao diretor ja que Matt Damon faz o roteiro, produz e protagoniza. Aqui temos a lei implacavel do mundo globalizado determinando a mudanca de vida de fazendeiros tradicionais do interior americano. A visao e dos proprios empreendedores. No drama russo de Boris Khlebnikov o capital tambem manda e nao e por estar na terra que um dia derrubou a lei dos quem tem mais que a situacao e mais branda. Pelo contrario. A diferenca e que neste filme vemos a selvageria da ambicao pelo ponto de vista de quem a sofre. No caso uma pequena colonia a beira do rio que depende da terra e aos poucos se ve constrangida a vender seu pedaco de chao quando a producao entra em decadencia. O dinheiro da indenizacao tem apelo forte, especialmente ao jovem que quer dar melhor condicoes a namorada. Mas os moradores se reunem e decidem fazer frente a negociacao, tarde demais talvez porque o rapaz, lider da comunidade, fez o negocio por todos. A pressao o levara ao limite e a consequencia vem na linha brutal dos filmes russos mais recentes. Mas e um bom drama, apesar da chave final um tanto esperada.
O melhor do drama de epoca alemao Gold e talvez saber de uma passagem pouco conhecida e similar aos westerns classicos da procura pela riqueza. Sao os alemaes que imigraram a America no seculo 19 os que agora vao em busca do ouro numa fronteira longinqua e hostil do Canada. No grupo de seis ou sete pessoas esta uma bela jovem recem-chegada de Chicago, Nina Ross, estrela por aqui e que ainda deve estar em cartaz por ai com Barbara. Ha semelhancas entre a medica defenestrada pela Stasi para um vilarejo alemao e sua Emily agora, tambem misteriosa, solitaria e que encontrara carinho nos bracos de um homem mais liberal. O bando segue montanha acima para chegar a um ponto de exploracao de ouro com todos os percalcos imaginaveis. E um filme classico, que talvez invista na veia contraria a acao do western, um anti-western na palavra do diretor Thomas Arslan, que prefere mais a cena intimista, a palavra, do que tiros e perseguicoes. E o oposto, com toda a falta de criatividade e mesmice possivel, de The Necessary Death of Charlie Countryman, concorrente de lingua inglesa que parece um meio termo entre a dupla Spike Jonzie e Charlie Kauffman e Danny Boyle. Shia LaBeouf protagoniza. Depois da morte da mae, vai para Bucareste, onde se envolve com uma beldade local e a mafia. Tudo para representar na tela aquilo que o pais propagandeia de pior ao mundo. Essa e a vocacao de muitos filmes qeu nao buscam mais que diversao. E este nem isso oferece. Ate!

registrado em: