Cultura

Berlinale

Será Linklater?

por Orlando Margarido — publicado 13/02/2014 15h14
Boyhood agradou bastante e pode ser exceção em um Urso de Ouro sempre político

 

Berlim -- Se depender da recepçáo calorosa  na sessão de imprensa hoje de manhã, Richard Linklater pode ter como certo seu Urso de Ouro. Mas será que a Berlinale trairia seu tradicional partido de um cinema político mais influente, reflexivo? Por mais que Boyhood seja cativante, admirável, e é, ele pertence ainda a um modelo mais convencional de cinema, no conceito americano de se recriar com empatia o jeito da sociedade, senão de todo pais, uma proção bem característica dele. Esse pequeno estrato é o do Texas, estado onde o diretor nasceu e cresceu, mais especificamente na capital Austin. Sabemos se tratar de um dos núcleos mais conservadores dos Estados Unidos, com sua pena de morte, a posse de arma banalizada, a religião dando muito das regras e princípios. Tudo isto está todo o tempo no filme, entre o humor e o cinismo, mas nao é esse o tema, o foco principal. Linklater acompanha o crescimento de Mason, de criança ate a pos-adolescëncia, a vida em familia de pais separados, a máe que se casa duas vezes novamente, a descoberta do amor e do sexo. Mas quando se diz acompanhar, isso é literal. O diretor filmou se ator Eliar Coltrane dos 5 aos 18 anos,ou seja, ve-se ele crescer frente a camera. Isso faz toda a diferença e nesse sentido o filme é um feito. Acho dificil nao se reconhecer ao menos o agora quase adulto Coltrane merecedor do premio de melhor interprete. Há muito da vida pessoal do Linklater, mas transposta para os dias de hoje, quando se fala na volta dos soldados do Iraque da primeira elei:ao de Obama. Quando Mason faz 15 anos ganha dos avos paternos uma biblia e um rifle. A platéia riu, aplaudiu. O bolsão de direita, dos red necks, é todo tempo estraçalhado. E na visão está por certo a critica politica que a Berlinale precisaria para justificar seu premio. Ou não. O filme é bom e Linklater um habitué do festival, onde ja apresentou sua trilogia de amor, tambem com a passagem do tempo, entre Hawke e Julie Delpy. Saio agora para a sessao de Yoji Yamada, o unico competidor japonës, ao menos um mestre, de quem espero compensar tanta opção ruim na selecao deste ano. Volto com mais novidades.