Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Blog do Orlando Margarido / Paulínia busca o prumo

Cultura

Paulínia Film Festival

Paulínia busca o prumo

por Orlando Margarido — publicado 23/07/2014 20h26, última modificação 24/07/2014 09h32
Ainda sem uma identidade precisa, o evento retoma o calendário depois de breve suspensão

A noite de abertura da 6.ª edição do Paulínia Film Festival, assim rebatizado porque agora também internacional, dá um tanto do tom do que parece ser um projeto por enquanto amplo em sua identidade, ou seja talvez nenhuma.

De um lado, a costumeira saudação local com discursos de autoridades, e em especial o prefeito e seu pai, criador do festival que enfrenta questões políticas na justiça, assim com seu sucessor que suspendeu o maior projeto cultural do adversário.

De outro, estrelas internacionais como Abel Ferrara, Jacqueline Bisset e Danny Glover, este homenageado, assim como Jean Thomas Bernardini, um francês, mas há muito fincado em terra brasileira onde toca em São Paulo a distribuidora Imovision e as salas do Reserva Cultural. Alguns outros realizadores da competição, jurados convidados do exterior etc.

Tudo muito animador, com um majestoso aparato de imagens e luz para celebrar a volta ao funcionamento do moderno teatro pauliniense. Mas essa simbiose, ao menos ontem, não soou muito encorajadora. Atrasou muito a cerimônia, alongou-a quase ao insuportável, especialmente para quem como a imprensa precisa estar ali todo o tempo, sem tempo nem para uma esticar de pernas.

Mas vá lá que protocolos como esse façam parte de um evento que quer retormar seu prestígio de pólo de produção mas também de vitrine da nova produção nacional e agora também com um foco estrangeiro. Ao menos a proposta da curadoria parece estimulante com bons nomes na competição. Depois da sucessão de abraços e congratulações, vimos o longa Não Pare na Pista -- A Melhor HIstória de Paulo Coelho, de Daniel Augusto, um bom apanhado ficcional, ainda que um tanto idealizado nas agruras, da juventude do escritor até seu estouro no mercado editorial. Em especial, a relação com Raul Seixas, que poderia ser melhor explorada. Vamos ver o que Paulínia nos apresenta além da celebração da retomada. Trago aqui as novidade.