Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Blog do Orlando Margarido / Muitos prêmios num só (filme)

Cultura

Cine PE

Muitos prêmios num só (filme)

por Orlando Margarido — publicado 03/05/2014 20h14
Os premiados da 18ª edição, em um resultado com diversos equívocos

Caros, seguem os premiados em cerimônia realizada ontem no bonito Teatro Santa Isabel, no centro do Recife. Noite também triste pela morte do nosso colega de crítica João Sampaio, a quem se lembrou em emocionante homenagem. Quantos aos prêmios, vários desacertos, mas depois comento.

 

Mostra Festival de Cinema de Ficção Internacional

Calungas (12 categorias)

FilmeMuitos Homens Num Só, de Mini Kerti

Direção: Mini Kerti (Muitos Homens Num Só)

Ator:  Vladimir Brichta (Muitos Homens Num Só)

Atriz: Alice Braga (Muitos Homens Num Só)

Ator Coadjuvante:  Alvaro Rudolphy (Romance Policial, de Jorge Durán) e Pedro Brício (Muitos Homens Num Só)

Atriz Coadjuvante: Roxana Campos (Romance Policial) e Pia Engleberth (Anni Felice)

Roteiro: Leandro Assis (Muitos Homens Num Só)

Fotografia: Luis Abramo (Romance Policial)

Direção de Arte: Kiti Duarte (Muitos Homens Num Só)

Trilha Sonora: Dado Villa-Lobos (Muitos Homens Num Só)

Edição de Som: Tomás Alem (Muitos Homens Num Só

Montagem: Mirco Garrone (Anni Felice, de Daniele Lucheti)

Prêmio do Júri PopularMuitos Homens Num Só, de Mini Kerti

Prêmio da Crítica – Júri da AbraccineE Agora? Lembra-Me, de Joaquim Pinto (Portugal). 

Prêmios especiais do júri oficial:

Menção Honrosa: “Para o filme O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza Zenha (MG), por ampliar a proposta de uma produção brasileira que destaca fatos da história nacional para um público infantil”.

Menção Honrosa: “Para o elenco infantil dos filmes Anni Felice, de Daniele Lucheti (Itália), e O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza Zenha (MG), em especial para o ator mineiro Lino Facioli.”

Menção Honrosa: “Para o filme Mundo Deserto de Almas Negras, de Ruy Veridiano (SP), pela inventividade e ousadia ao construir um filme que utiliza o espírito ‘DJ’ na construção de sua narrativa.”