Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Blog do Orlando Margarido / Glória para um romeno!

Sem categoria

Glória para um romeno!

por Orlando Margarido — publicado 16/02/2013 19h41, última modificação 16/02/2013 21h20

Berlim – Caros, o título não é para confundir, mas para dizer logo que os dois, ou três filmes que mais gostei da Berlinale foram contemplados com prêmios principais na cerimonia encerrada agora a pouco por aqui. O romeno Child’s Pose, claro, ganhou o Urso de Ouro e mais do que o diretor Calin Peter Netzer, emocionadissimo, quem fez o discurso mais contudente de agradecimento foi a produtora Ada Solomon. Ela lembrou a força das mulheres nesta edição, na direção, na frente das câmeras e, claro, na produção. Pediu que os governos, em especial da Romênia olhem com mais atenção as produções de arte e pediu cuidado com outra censura, além daquela política, que é a da industria comercial do cinema, que condena as formas artísticas mais indepedentes. Foi bonito. Tanto quanto ver Paulina Garcia, que arrisco dizer, se tornou a musa deste festival, receber um merecidissimo premio de melhor atriz. Ela é a alma, corpo e tudo mais de Gloria, o personagem-titulo do filme de Sebastián Lello. Havia outras, mesmo a do romeno, Juliette Binoche como Camille Claudel, mas Paulina é muito especial. Entrevistei a e descobri quem alem de muito simpatica é inteligente e politica, no sentido de pensar sua geração que ficou numa espécie de limbo entre o fim da ditadura e o reinicio da democracia no Chile. Torcia pelo filme também, mas sem duvida o premio para ela neste caso vale para todo o trabaho de Lello, que me contou ter Paulina encontrado muitas vezes suas mãe para se preparar para o papel. Espero que Paulina um dia vá ao Brasil para vocês conhecerem esssa atriz especial. O filme já esta comprado pela Imovision de Jean Thomas Bernardini, que lançou No, de Pablo Larraín, produtor de Gloria ao lado de seu irmão.

 

E o ator? Também achei acertadissima a escolha de Nazif Mujic, na verdade um não ator, do filme de Danis Tanovic, Um Episodio na Vida de um Catador de Ferro, em grande, e por certo única, interpretação. Tanovic ganhou também o Grande Premio do Júri e talvez esta soma seja complicada, não em função do filme, que é muito bom, mas pelo fato do júri ter desperdiçado alguns de seus prêmios. Falo principalmente do Premio Alfredo Bauer para filmes que abrem novas perspectivas para o apenas curioso e extravagante concorrente canadense Vic Flo Ont Vu un Ours, que não chega aos pés de filmes elaboradissimos como o do Casaquistão, Harmony Lessons. Este ficou apenas com o premio de contribuição artistica, bem a calhar sem dúvida, pois o trabaho de camera de Aziz Zhambakiev é brilhante. Seria um bom premio para o diretor Emir Baigazin, mas o juri preferiu o americano David Gordon Green. Sem duvida ele faz um trabalhos muito particular em seu Prince Avalanche para uma produção americana, e se o contexto todo da premiação não tivesse se complicado, creio qeu até aceitaria de melhor grado. Me parece que esta escolha vai mais no sentido de contemplar um filme americano, ainda que independente. Os problemas aumentam com uma desnecessária menção especial do júri não para um, mas para dois!! Filmes, Promised Land, de Gus Van Sant, e Layla Fourie, de Pia Marais, ambos fracos e descartáveis numa competição. Que decepção do presidente Wong Kar Wai! Mesmo a alentada postura política da Berlinale foi encolhida este ano apenas com a lembrança do filme codirigido por Jafar Panahi. Ele e Kamboziya Partovi assinam a ¨isto não é uma história” de Pardé, ou Closed Curtain. Esse júri talvez entre para o legado da Berlinale como o de caminho mais torto para tentar chegar a um destino de modo digno. Nem sempre são e salvo.

 

Seguem os principais premiados:

Urso de Ouro

 

Child's Pose

de Calin Peter Netzer

Grande Prêmio do Júri (Urso de Prata)

 

 

An Episode in the Life of an Iron Picker

de Danis Tanovic

Prêmio ALFRED BAUER (Urso de Prata)

 

Vic+Flo ont vu un ours

Vic+Flo Saw a Bear

by Denis Côté

Melhor direteor (Urso de Prata)

David Gordon Green por

 

Prince Avalanche (Prince Avalanche)

 

Melhor atriz

Paulina García em

Gloria, de Sebastián Lelio

 

Melhor ator

Nazif Mujic

An Episode in the Life of an Iron Picker, de Danis Tanovic

 

Melhor roteiro

Jafar Panahi por  Pardé  (Closed Curtain), de Jafar Panahi, Kamboziya Partovi

 

Premio de contribuição artística

Aziz Zhambakiyev pela câmera de Uroki Garmonii (Harmony Lessons) by Emir Baigazin

Menção especial

Promised Land

de Gus Van Sant

Menção Especial

Layla Fourie

de Pia Marais

 

 

registrado em: