Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Midiático / A Agencia Pública e o nó do financiamento do bom jornalismo

Sociedade

Dilema

A Agencia Pública e o nó do financiamento do bom jornalismo

por Lino Bocchini — publicado 12/09/2013 11h07, última modificação 12/09/2013 15h08
Como financiar um jornalismo independente e de qualidade é uma pergunta cuja resposta não é única nem fácil. A Agencia Publica achou seu modelo, e agora pede sua ajuda.
Reprodução
Assange.jpg

Julian Assange, um dos parceiros da Agencia Publica

Desde sua criação em 2011, a Agencia Pública de Jornalismo Investigativo teve em seu modelo de financiamento um de seus maiores trunfos para garantir independência editorial praticamente absoluta, fato raríssimo em um meio jornalístico ainda tão dependente da publicidade tradicional como o brasileiro. Desde 2011, ela distribui bolsas para que jornalistas independentes possam realizar investigações.

Para seguir nesse caminho, a Publica agora quer ampliar as bolsas para reportagens independentes. Lançou uma campanha de arrecadação e pretende conseguir 47 mil reais até dia 20 de setembro com doações de pessoas físicas, por meio do crowdfunding, o financiamento coletivo --ou, em português mais claro, com uma vaquinha virtual.

A Publica atingir sua meta é algo importante não apenas para a entidade, mas para o jornalismo brasileiro. Explico.

Um dos grandes nós do jornalismo independente é seu financiamento. Pagar bons repórteres, apoiar e financiar suas investigações para que eles sejam livres para escrever o que descobrirem com honestidade é uma equação cuja resposta não e fácil nem única, e muito menos simples. E a Pública encontrou a sua.

A agência se mantém basicamente de doações de organizações estrangeiras, como a Fundação Ford e a Omidyar Network. "Queremos ampliar a produção não só pela nossa equipe. Com a verba do crowdfunding, vamos ajudar outros repórteres a também fazer reportagens extensas e profundas", explica Natalia Viana, fundadora e coordenadora da Publica. "Um bom repórter sabe como é difícil conseguir dinheiro para financiar a reportagem dos seus sonhos e ainda ter independência editorial para de fato escrever o que descobriu", diz ainda.

Por isso está em curso, até o dia 20 próximo, uma campanha de arrecadação no site de financiamento coletivo Catarse. "Com o dinheiro vamos doar seis bolsas de R$ 10 mil para repórteres de todo o Brasil que inscreverem suas propostas em nosso site. E todo mundo que doar vai poder votar em quais reportagens devem ser realizadas", explica a jornalista.

Vale ressaltar que a agência já ganhou os prêmios Troféu Mulher Imprensa, HSBC e Allianz, com reportagens sobre os índios Munduruku e lideranças ameaçadas no Amazonas. A Publica é também a parceira oficial do WikiLeaks no Brasil. E todo seu conteúdo pode ser usado livremente por qualquer publicação, desde que creditado. O site de CartaCapital é um dos publicadores do material.

Por todas estas razões o autor deste blog doou 50 reais à campanha. E aconselho aos amantes do bom jornalismo a fazerem o mesmo, dentro de suas possibilidades. Para isso, clique aqui.

registrado em: ,